Pedro Sousa iguala Gastão Elias em títulos Challenger e pisca o olho ao selecionador nacional

A partir deste domingo, o segundo lugar do pódio entre os tenistas portugueses com mais títulos conquistados em provas do ATP Challenger Tour é partilhado por dois jogadores: Pedro Sousa chegou aos sete títulos e assim alcançou Gastão Elias, que chegou a parecer bem encaminhado para tomar como sua a primeira posição.

Aos 30 anos, Pedro Sousa celebrou pela segunda vez em 2019 ao conquistar o torneio de Meerbusch, na Alemanha, uma conquista que tal como as seis anteriores (Francavilla, Liberec e Como em 2017, Braga e Pullach em 2018 e Blois já este ano) aconteceu sobre a terra batida.

Desta forma, o jogador lisboeta iguala o registo de Gastão Elias, que ao longo da carreira celebrou por sete vezes em torneios de nível Challenger. A última vitória do tenista natural da Lourinhã data de outubro de 2017 (em Campinas), conquista que chegou a fazer antever um assalto à primeira posição mas que, entretanto, perdeu seguimento devido às várias lesões de que tem sido vítima no último ano e meio.

À frente de Pedro Sousa e Gastão Elias está apenas Rui Machado, que desde que pendurou as raquetes assumiu os cargos de coordenador técnico nacional e selecionador da equipa portuguesa na Taça Davis e já chegou, inclusive, a acompanhar Pedro Sousa (bem com outros jogadores) em vários torneios.

E o que têm, em comum, os três jogadores? Todos celebraram as respetivas conquistas por inteiro no pó de tijolo, superfície que continua a revelar-se predileta no que a vitórias a este nível diz respeito.

Jogadores portugueses com títulos no ATP Challenger Tour:

8 – Rui Machado
7 – Pedro Sousa e Gastão Elias
6 – Frederico Gil
5 – João Sousa e Nuno Marques
3 – João Cunha e Silva
2 – João Domingues
1 – Emanuel Couto

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."