Paulo Travassos e João Freitas terminam Mundial de Veteranos como vice-campeões de pares

Fotografia: Beatriz Ruivo

Jamor, OEIRAS — A primeira edição dos Campeonatos do Mundo de Veteranos a realizar-se em solo português terminou com saber amargo mas, sobretudo, razões de orgulho para as cores nacionais: Paulo Travassos e João Freitas perderam uma decisão muito equilibrada e terminaram como vice-campeões de pares do escalão de +55.

Porque o melhor fica sempre para o fim, a dupla portuguesa tinha nas raquetes a difícil tarefa de conquistar o primeiro título da história do pais em provas mundiais. Mas a experiência — com a ajuda de alguma sorte — falou mais alto e depois de 2h30 foram os norte-americanos Polo Cowan e Daniel Grossman que saíram do Court Central do Complexo Desportivo do Jamor (o “Centralito”) com o título, graças aos parciais de 7-6(4) e 7-5.

Se a final acabou por ser pautada pelo equilíbrio, a verdade é que começou extremamente bem para os dois representantes nacionais: com nervos de aço, Paulo Travassos e João Freitas quebraram e seguraram o serviço primeiro, ganharam rapidamente uma vantagem de 4-1 e pouco depois tiveram a um ponto de fazer o 5-2. Claramente superior ao conjunto norte-americano durante grande parte do primeiro set, o duo português chegou a dispor de dois pontos para fechar o parcial, mas a vantagem revelou-se insuficiente e os “visitantes” acabaram por dar a volta para serem felizes no tie-break.

O segundo set também ficou marcado pelo enorme equilíbrio entre as duas equipas, mesmo se do lado americano foi Cowan quem “aguentou” o barco — o parceiro, Grossman, já é mais velho e apesar de ser igualmente titulado não tem a mesma frescura física. Travassos e Freitas tiveram várias oportunidades, mas entre os expectáveis nervos que os atrapalharam nalguns momentos da final, naturais bolas discutidas que poderiam ter caído para o lado oposto e a experiência dos adversários não conseguiram forçar o match tie-break.

Ainda assim, a prestação de Paulo Travassos e João Freitas fica para a história e, uma vez ultrapassada a desilusão dos primeiros instantes, os dois poderão sempre olhar para a dignificante medalha que simboliza o segundo lugar entre as melhores duplas do mundo no escalão.

Paulo Travassos & João Freitas (POR) vs. Polo Cowan (EUA) & Daniel Grossman (EUA), FINAL DE PARES +55 Campeonato Mundial de Veteranos:

Publicado por Raquetc em Sábado, 17 de agosto de 2019

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."