Francisca Jorge, Daniel Rodrigues e Luís Faria com novos máximos de carreira em dia de revolução

No dia em que 19 portugueses entram nos rankings ATP e WTA, a bicampeã nacional absoluta Francisca Jorge, o madeirense Daniel Rodrigues e o vimaranense Luís Faria são alguns dos jogadores a registarem novos máximos de carreira.

Tal como o Raquetc já tinha adiantado, esta segunda-feira é dia de revolução nas tabelas classificativas — fruto do volte-face levado a cabo pela Federação Internacional de Ténis (ITF), que no início do ano tinha adotado um ranking paralelo — e como resultado foram muitas as alterações.

Agora que os torneios da semana passada estão todos concluídos e contabilizados, já é possível assinalarem-se as corretas posições dos vários portugueses.

No ranking ATP, esta foi uma semana de descidas para seis dos 10 jogadores que já figuravam no ranking. Dessas, a de maior destaque é a de Gastão Elias, que deceu 38 posições para se posicionar no 355.º posto. Em sentido contrário, Fred Gil — que era um dos melhores jogadores no ranking da ITF — subiu nada mais, nada menos do que 296 lugares na tabela ATP para surgir em 371.º, seguido de João Monteiro (479.º, + 26 lugares), Tiago Cação (522.º, + 23) e Nuno Borges (540.º, +112).

O destaque da semana vai, no entanto, para os jogadores que esta semana regressam ao ranking. Luís Faria, que tem aproveitado o início do ano para pontuar em vários torneios ITF, entrou diretamente para o 738.º lugar, que se traduz na melhor classificação da ainda curta carreira. Atrás dele vem Bernardo Saraiva (865.º) e logo a seguir Daniel Rodrigues. Vice-campeão nacional absoluto em 2017, o madeirense brilhou no Porto Open — onde começou na fase de qualificação e só terminou na final, a primeira da carreira — e assim ascendeu ao 920.º posto, o melhor registo da carreira.

No ranking ATP desta semana também passam a figurar Daniel Batista, Francisco Cabral, Francisco Dias, Fábio Coelho (igualmente com um novo máximo, 1323.º), Gonçalo Falcão, André Murta, Pedro Araújo, Martim Prata (1418.º, a melhor classificação), Afonso Salgado (1330.º), João Graça, Tomás Almeida, Gonçalo Ferreira (1895.º), e Miguel Semedo.

Na classificação do circuito mundial feminino, a melhor tenista portuguesa continua a ser Francisca Jorge — mas agora com a melhor classificação de sempre. Aos 19 anos, a vimaranense escalou 137 posições para se fixar no 515.º posto, estando mais próxima do que nunca da entrada no top 500.

Depois vêm Inês Murta (desceu 42 posições), Maria Inês Fonte (-28), Ana Filipa Santos (-168), Sara Lança (-243) e Inês Teixeira (-318), até que surge a primeira estreante: Mariana Campino surge pela primeira vez na classificação e logo na 1201.ª posição, tal como Lúcia Quitério (que está de regresso ao ranking). Em 1229.º surgem Rita Pinto e Joana Vale Costa, tal como a segunda e última estreante: Inês Oliveira.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."