Cinco seleções portuguesas com vitórias no segundo dia do Mundial de Veteranos

Fotografia: Beatriz Ruivo/Federação Portuguesa de Ténis 2019

LISBOA — Portugal terminou o segundo do Campeonato do Mundo de Veteranos por Equipas com muitas razões para sorrir: entre as seis seleções nacionais que estão a disputar a prova (que se realiza pela primeira vez em solo português), cinco somaram importantes — e até históricas — vitórias entre dois clubes.

O primeiro conjunto a ser feliz foi o de +50 masculino, que no Clube Internacional de Foot-Ball, em Lisboa, superou a Noruega por 3-0. No primeiro encontro do dia no palco principal do histórico palco lisboeta, Pedro Martins arrancou de forma perfeita e derrotou Petter Svendsen por 6-2 e 6-0, a que se seguiu o triunfo de Nuno Delfino por 6-3 e 6-2 perante Ole Henaes. Mais tarde, no par, Vasco GraçaNuno Mota aplicaram os parciais de 6-2 e 6-1 a Tormod Naess e Ole Henaes.

Tendo sido este o primeiro encontro da seleção portuguesa, o primeiro lugar no Grupo da Fred Perry Cup ainda é uma possibilidade, mas o encontro de terça-feira será discutido com a França, que é uma das grandes favoritas à vitória neste Campeonato do Mundo.

O momento da primeira vitória de Portugal neste ITF Seniors World Team Championships — na jornada anterior, Paulo Travassos e Paula Falcão/Deolinda Duarte já tinham vencido encontros, mas sem influência final no desfecho dos embates — foi registado pelo Raquetc:

Não muito longe, a qualquer coisa como meia dezena de quilómetros de distância, o Complexo Desportivo do Jamor serviu de palco a outras quatro vitórias com sabor lusitano.

Em +55 masculinos, Portugal superou a Irlanda por 3-0 graças às vitórias de João Freitas (6-4, 4-6 e 6-4 sobre Neil Wilson), Paulo Travassos (6-1 e 6-1 perante Mark Milligan) e Jorge Almeida/Sotero Rebelo (6-7[4], 6-3 e 6-4 contra William Guiry/Michael Waldron).

As previsões apontam para que a seleção nacional termine o Grupo E da Austria Cup na segunda posição, uma vez que os Estados Unidos da América são os grandes favoritos no embate de terça-feira, contra a Irlanda. Se assim for, a equipa da casa jogará os play-offs de atribuição do 8.º ao 14.º lugares.

A equipa feminina do mesmo escalão também logrou a primeira vitória, ao aplicar um resultado semelhante à Nova Zelândia: Isabel Costa passou por Leona Davis-Kaye com os parciais de 6-0 e 6-2, Luísa Gouvea superou Karen Cranston por 6-1 e 6-1 e, no encontro de pares, Conceição Vinha e Paula Zoio levaram a melhor sobre Jane Geldard e Delwyn Guilford por 3-6, 7-5 e 6-3.

Com este resultado, Portugal terminou o dia no segundo lugar do Grupo D da Maureen Connolly Cup. Com os dois encontros já realizados, a equipa da casa encerrará esta fase nessa mesma classificação caso a Austrália supere a Nova Zelândia e, se assim for, estará em luta por uma posição entre o 7.º e o 10.º lugares.

Também no escalão de +60 as equipas lusas conseguiram terminar o dia de forma perfeita. O conjunto masculino superou a Dinamarca por 2-1, com Vítor Pereira a derrotar Jesper Clausen com 6-2 e 6-2 e a regressar ao court para, ao lado de Manuel de Sousa, derrotar Karsten Bessmann e Bo Marburger por 6-2 e 6-4 no encontro de pares, depois do mesmo Karsten Bessmann se ter imposto a José Alberto Pereira com os parciais de 6-4 e 6-1.

O duelo de terça-feira com a Suécia deve decidir o segundo lugar do Grupo G da Von Cramm Cup, que tem na Espanha a grande favorita.

O coletivo feminino terminou com o mesmo resultado mas perante a Nova Zelândia: Conceição Novo superou Jill Gordon por 7-5 e 7-5 e Isabel Cunha de Eça impôs 6-1 e 6-2 a Penny Smith, com as visitantes a entrarem no marcador do duelo graças ao triunfo de Marietta Duffy-Burgess e Penny Smith por 6-0 e 6-1 perante Carmo Santos e Margarida Araújo.

Esta foi a primeira eliminatória da seleção feminina no Campeonato do Mundo de Veteranos por Equipas, pelo que o primeiro lugar na Alice Marble Cup ainda está em aberto.

A única equipa lusa a não conseguir vencer na jornada desta segunda-feira foi a de +50 femininos. No Clube de Ténis do Estoril, em Cascais, Portugal perdeu por 3-0 para a Itália, com Elena Scola a derrotar Deolinda Duarte por 6-1 e 6-1, Simona Isidori a bater Paula Silvestre por 6-1 e 6-1 e Katy Agnelli e Maria Antonieta Trupia a superarem Paula Falcão e Isabel Pinto com parciais de 6-1 e 6-3.

Foi a segunda derrota em dois dias para este selecionado, que assim vai discutir com a seleção da Argentina os dois últimos lugares do Grupo F da Maria Esther Bueno Cup.

Total
9
Shares
Total
9
Share