Ex-número um mundial de juniores impede Frederico Silva de chegar à primeira final Challenger

Terminou na manhã deste sábado a prestação de Frederico Silva no Advantage Cars Prague Open 2019 by Moneta Money Bank, torneio ATP Challenger onde procurava a primeira final da carreira a este nível.

O jogador caldense de 24 anos foi travado por Chun Hsin Tseng, tenista do Taipé que foi recentemente líder da classificação mundial de juniores (para além de ter vencido Roland Garros e Wimbledon no verão de 2018) e passou por Portugal já este ano.

Os parciais de 6-1 e 6-4 colocam em evidência o que se passou dentro do campo: no primeiro set, apesar de ter sido o primeiro a dispor de break points, Silva (298.º ATP) sentiu muitas dificuldades na pancada de serviço e teve de salvar seis set points para não sofrer o triplo break.

Com o avançar do marcador, e também do relógio, as dificuldades foram atenuadas mas não eliminadas e uma quebra ao terceiro jogo revelou-se suficiente para o jovem tenista da Academia de Patrick Mouratoglou — é acompanhado por Yu Te Tseng e Kimi Tiilikainen — carimbar pela primeira vez na ainda curta carreira a passagem à final de um torneio desta “divisão”.

Para Frederico Silva, mesmo não tendo terminado da forma mais desejada esta tem de ser vista como uma excelente semana: alcançou as segundas meias-finais da carreira — primeiras desde Banguecoque, há três anos e meio — e assim garantiu uma subida de cerca de 26 lugares, que o levará à 272.ª posição.

No que ao ténis português diz respeito, o dia está longe de terminar: no Porto, Daniel Rodrigues tenta atingir a primeira final da carreira em torneios ITF; em Tampere, na Finlândia, Pedro Sousa é o primeiro cabeça de série e também luta pela chegada à final de um Challenger; em Gstaad, Suíça, João Sousa está nas meias-finais de um torneio ATP 250 pela 18.ª vez (!) vez na carreira.

Total
7
Shares
Total
7
Share