Inês Murta afastada nos quartos de final de singulares do Porto Open

PORTO — Ao quinto dia de prova, o quadro principal de singulares femininos do Porto Open ficou sem representação portuguesa. A ex-finalista Inês Murta era a única ainda em prova e foi derrotada nos quartos de final.

Três anos depois de ter disputado a final — quando a prova ainda distribuía apenas 10.000 dólares em prémios monetários — a algarvia voltou a cair perante a espanhola Eva Guerrero Alvarez, que já a tinha travado no Palmela Open, há uma semana. Desta vez, perdeu por 6-1 e 6-4.

O segundo duelo da semana contra uma cabeça de série — começou por derrotar a terceira favorita, Olga Saez Larra, na primeira eliminatória — foi decidido em dois momentos: o 3-1 do primeiro set e no 2-1 do segundo, dois jogos em que teve oportunidades para quebrar o serviço da espanhola, de 19 anos, e voltar à luta pelo marcador mas acabou por não conseguir concretizar o break.

A derrota de Inês Murta deixa o quadro principal feminino da 20.ª edição do Porto Open sem representantes: Francisca Jorge, bicampeã nacional, foi travada na segunda ronda, enquanto Sara Lança e Rita Pinto não foram além da primeira.

Mas a número dois nacional ainda vai continuar pelo Complexo Desportivo do Monte Aventino, uma vez que está apurada para a final de pares… Tendo disputado apenas um encontro: venceu a primeira ronda, ao lado de Jacqueline Cabaj Awad, e depois beneficiou de dois “walkovers“.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."