Inês Murta repete presença nos quartos de final do Porto Open

PORTOInês Murta dá-se bem com os ares da cidade invicta e esta quinta-feira selou o regresso aos quartos de final de singulares do Porto Open, o único torneio do circuito profissional organizado em solo português com quadros masculinos e femininos.

Um dia depois de ter vencido nos courts de piso rápido da Class Academy, no Open Village Sports, em Guimarães, a algarvia também conseguiu ser feliz no Complexo Desportivo do Monte Aventino — a verdadeira casa deste Porto Open, que tem sido perturbado por atrasos nas renovações dos courts e, esta quinta-feira, pelo mau tempo.

Desta vez, derrotou a japonesa Yuriko Lily Miyazaki por 6-2 e 6-1, desforrando-se da derrota sofrida em Corroios num encontro que também começou por dominar.

Assim, Inês Murta está pela quarta vez consecutiva nos quartos de final do Porto Open: em 2016, quando o torneio distribuía 10.000 dólares em prémios monetários, foi finalista; nos anos seguintes (2017 como prova de 15.000 dólares, 2018 já como 25.000) ficou-se por esta fase.

A próxima adversária da número dois nacional é Eva Guerrero Alvarez, a quinta cabeça de série que há uma semana, na segunda ronda do 25.000 dólares de Palmela, a derrotou por 6-2 e 6-2. A espanhola foi a última atleta a superar a segunda ronda, derrotando a búlgara Julia Terziyska por 6-3 e 6-2 quando os ponteiros do relógio já se aproximavam das 23h.

Atualizado às 23h34.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."