Djokovic passa por Bautista Agut para chegar a nova final em Wimbledon

Fotografia: Wimbledon

Novak Djokovic carimbou esta sexta-feira, pela sexta vez na carreira, o passaporte para a final do torneio de Wimbledon, superando Roberto Bautista Agut num embate equilibrado que foi resolvido em quatro partidas.

O tenista sérvio de 32 anos, campeão em título e número um mundial, até tinha perdido os dois jogos realizados contra o espanhol no presente ano (meias-finais do ATP 250 de Doha e oitavos de final do Masters 1000 de Miami) mas voltou a provar que quando mais importa é muito difícil de bater, impondo-se pelos parciais de 6-2, 4-6, 6-3 e 6-2 em duas horas e 50 minutos.

Muito mais à vontade nestas ocasiões (afinal, esta era a sua oitava presença numa meia-final no All England Club), Djokovic colocou desde início o pé no acelerador e logo ao segundo jogo obteve o break, mantendo a partir daí uma liderança que seria cimentada com nova quebra de serviço no oitavo jogo para fechar o set inaugural.

A reação de Bautista Agut, todavia, não se faria esperar: o tenista natural de Castelló de la Plana repetiu a receita do atleta natural de Belgrado e quebrou o serviço do oponente cedo, ao terceiro jogo, o que lhe deu a tranquilidade suficiente para criar um fosso que jamais perderia rumo à vitória no segundo parcial e consequente empate na partida.

Só que Novak Djokovic não se deixou levar pela resposta do atual 22.º ATP e 23.º pré-designado, acabando por pressionar gradualmente o serviço de Roberto Bautista Agut, estratégia viria a dar resultado no sexto jogo. De seguida, o campeão por quatro vezes do Major britânico confirmou o break e poucos minutos depois conseguiu servir novamente de modo eficaz para passar de novo para a frente do encontro.

A crescer cada vez mais em termos de confiança, Djokovic cortou qualquer hipótese de discussão do resultado a Agut muito cedo no quarto parcial: o vencedor de 15 provas do Grand Slam quebrou por duas ocasiões seguidas (terceiro e quinto jogos) o serviço do menos cotado adversário e tal revelou-se a “morte do artista” para o espanhol, que fazia a sua estreia em meias-finais a este nível.

Apurado para a sua segunda final em eventos Major nesta época, Novak Djokovic procura agora a sua quinta coroa em SW19 e para tal terá de derrotar um dos seus maiores rivais de sempre: ou Rafael Nadal ou Roger Federer, numa meia-final que promete causar muita água na boca.

Avatar
Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.