Guido Pella foi o único a surpreender na tão aguardada Manic Monday

Foi preciso esperar, esperar e esperar até que finalmente se consumou uma surpresa no quadro masculino de Wimbledon em plena Manic Monday. Porque se na competição feminina caíram algumas favoritas, entre os homens os favoritismos confirmaram-se quase todos — e a dada altura pareceu mesmo que pouco haveria a destacar.

Porque Rafael Nadal colocou um ponto final na caminhada histórica de João Sousa, Novak Djokovic também passeou e Roger Federer foi verdadeiramente demolidor. Porque Kei Nishikori tropeçou mas não caiu.

Até que o sol se pôs.

Guido Pella — o mesmo que já tinha eliminado o vice-campeão Kevin Anderson, um ano depois de ter feito o mesmo a Marin Cilic — agarrou-se com todas as forças a um encontro que parecia perdido e acabou mesmo por conseguir dar a volta a outro finalista: Milos Raonic, que perdeu a final de 2016 para Andy Murray.

Mesmo perdendo os dois primeiros sets do encontro, o tenista argentino de 29 anos (número 26 do mundo) nunca desistiu e acabou de braços no ar, a celebrar uma vitória pelos parciais de 3-6, 4-6, 6-3, 7-6(3) e 8-6 que lhe dá a primeira presença da carreira em quartos de finais de torneios do Grand Slam.

E que secção esta:

Novak Djokovic vs. David Goffin
Guido Pella vs. Roberto Bautista Agut
Sam Querrey vs. Rafael Nadal
Kei Nishikori vs. Roger Federer

Total
6
Shares
Total
6
Share