Uma nova vida, indeed — Murray (com López) derrota os favoritos no regresso da operação milagrosa

160 dias depois de uma conferência de imprensa em que não resistiu às lágrimas,
157 dias depois de um encontro que chegou a ser considerado o último da carreira,
143 dias depois de uma cirurgia que poderia ter ditado o adeus aos courts,

Andy Murray regressou à competição. E não só regressou como venceu — em grande estilo.

7-6(5) e 6-3 foram os parciais do triunfo ao lado de Feliciano López e perante Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, os primeiros cabeças de série e especialistas de pares, na primeira ronda do ATP 500 do Queen’s Club, em Londres.

Numa rara ocasião em que um duelo de pares era o mais aguardado de toda a semana, o jogador da casa — por seis vezes vencedor do torneio… em singulares — voltou a pisar os courts e ao contrário das ocasiões anteriores fê-lo sem objetivos.

Mas depressa se tornou evidente que a parceria entre Murray e López podia não se ficar pela primeira ronda mesmo se do outro lado do court estavam os líderes da Race to London na variante, campeões de 14 torneios lado a lado (dois dos quais este ano) e finalistas de outros 17, entre os quais o Australian Open na última temporada.

Com o mesmo sorriso que tem caracterizado as semanas deste regresso aos courts, o ex-número um mundial de singulares não tardou a encontrar o ritmo e a sintonizar-se na perfeição com um parceiro inédito, o que para delírio dos quase 10.000 espetadores presentes nas bancadas do pitoresco court central resultou numa vitória merecedora de uma ovação de pé — ou standing ovation, porque é de Londres que estamos a falar.

Se o regresso em singulares ainda não passa de uma miragem — é o próprio quem afirma que ainda está longe da forma e preparação necessária —, este regresso nos pares confirmou o potencial milagroso da cirurgia, semelhante à que o duplista Bob Bryan (que tantos conselhos lhe tem dado…) já tinha realizado em 2018.

E agora, porque não sonhar com o título? Andy Murray e Feliciano López já estão nos quartos de final e têm como próximos adversários ou os britânicos Daniel Evans e Ken Skupski ou Félix Auger-Aliassime e Alex de Minaur. Esse encontro ainda não se realizou porque o canadiano teve de disputar duas partidas de singulares nesta quinta-feira, não sendo ainda certa a sua ida a jogo uma vez que o embate terá de ter lugar nesta mesma jornada.

Última atualização às 20h23.

Total
7
Shares
Total
7
Share