Roberto Carballes Baena é o primeiro finalista do Lisboa Belém Open

Fotografia: Beatriz Ruivo/Lisboa Belém Open

LISBOA — À entrada para a primeira meia-final já se sabia que o Lisboa Belém Open ia ter, pelo segundo ano consecutivo, um finalista espanhol. Faltava saber quem e acabou por ser o mais cotado dos dois intervenientes a destacar-se, com Roberto Carballes Baena a justificar o wild card que lhe foi entregue pela organização.

Atual número 86 do ranking ATP, o tenista de Tenerife alinhou a melhor exibição da semana para derrotar o compatriota e muito talentoso Pedro Martinez (143.º) por 6-3 e 6-1, numa meia-final que ficou resolvida ao cabo de apenas 85 minutos.

Claro favorito à vitória, Carballes Baena levava para o encontro uma clara vantagem de 3-0 em encontros oficiais frente ao compatriota — uma das quais já este ano, no ATP 500 de Barcelona, onde acabou por chegar aos quartos de final — e dentro do Estádio CIF demonstrou as razões que fazem dele uma presença constante entre a elite do ténis mundial.

Adepto da terra batida, Roberto Carballes Baena fez do pó de tijolo do Estádio CIF o que quis, apresentando uma maior cadência superior à do adversário e cometendo muito menos erros não forçados para avançar à 10.ª final da carreira no circuito Challenger, em que conta com um registo de seis vitórias (todas em terra batida) em oito finais disputadas. Para além destes, o espanhol de 26 anos conta também com um troféu de campeão conquistado ao mais alto nível, no ATP 250 de Quito, no Ecuador, em 2018.

O adversário de Roberto Carballes Baena na final de domingo sairá do duelo entre o italiano Lorenzo Giustino e o argentino Facundo Bagnis, respetivamente 11.º e 10.º cabeças de série desta edição do Lisboa Belém Open.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."