Alexei Popyrin perde duelo de amigos no Lisboa Belém Open

Fotografia: Beatriz Ruivo/Lisboa Belém Open

LISBOA — Começou bem, de tal forma que parecia ser uma questão de tempo até inscrever o nome nos quartos de final, mas Alexei Popyrin não conseguiu manter a concentração e o nível e acabou eliminado na terceira ronda do quadro principal de singulares do Lisboa Belém Open.

Atualmente no 109.º posto do ranking mundial ATP, o jovem australiano é visto como uma das grandes promessas do ténis no seu país e no currículo conta com um troféu de campeão conquistado no torneio júnior de Roland Garros, em 2017. Por essas razões, era considerado um dos grandes candidatos à vitória no maior torneio do concelho de Lisboa, mas deixou-se surpreender pelo bom amigo Elliot Benchetrit (234.º), que venceu por 6-4 e 6-2.

O jogador gaulês demorou algum tempo a entrar no encontro — mais tarde, na conferência de imprensa, confessou as dificuldades que sentiu nos primeiros instantes por estar a defrontar um jogador que bem conhece — mas quando o fez conseguiu superar-se, aproveitar o conhecimento que tem do adversário e reagir melhor às condições lentas que a mudança de tempo proporcionou para vencer um encontro que acabou por ter pouca história.

Com esta vitória, o gaulês — que é amigo de Patrick Mouratoglou e por isso passa regularmente pela “academia de luxo” para treinar com vários jogadores marcou encontro com Roberto Carballes Baena — o número 86 do mundo e segundo cabeça de série — nos quartos de final, marcados para sexta-feira.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."