Gastão Elias: “É frustrante porque senti que ia ganhar o jogo”

Fotografia: Beatriz Ruivo/Lisboa Belém Open

Depois de várias semanas menos boas, Gastão Elias parecia estar a reencontrar algum do seu melhor ténis no Lisboa Belém Open 2019 mas acabou por se ver impedido de continuar em prova ao contrair uma lesão durante o seu embate da segunda ronda. Em declarações pós-jogo, o lourinhanense referiu como tudo aconteceu.

“Eu sentia a perna um bocadinho dura no início do segundo set, senti um bocadinho de falta de mobilidade, mas passados dois ou três jogos senti-me bem outra vez, senti-me normal. Depois de repente no terceiro set, a tentar chegar a uma bola, senti um estalo no músculo posterior e logo aí vi que não dava para continuar”, começou por frisar.

Atual número 335 ATP, Elias referiu que se trata “100%, sem dúvida nenhuma” de uma rotura muscular. “Sabia que não havia nada que se podia fazer naquele momento, portanto acho que a melhor opção era mesmo não jogar mais”, apontou antes de falar no facto de ser uma situação “frustrante” tendo em conta o desenrolar do encontro.

“Sentia-me a jogar bem, realmente sentia-me por cima do encontro já, já o [Guido Andreozzi] sentia do outro lado um bocado perdido, sem fio de jogo, e eu consegui voltar bem depois de um primeiro set mais complicado. Consegui jogar um segundo set a um grande nível, o terceiro set continuei também. Comecei da melhor maneira e senti que já estava por cima do jogo e mais cedo ou mais tarde ia conseguir fazer o break. Realmente senti que ia ganhar o jogo. Se tivesse de apostar, tinha apostado na vitória 100%. É uma pena porque seria [uma vitória sobre] o primeiro jogador do top-100 já em algum tempo”

Avatar
Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.