Agora sim: Gastão Elias soma a primeira vitória da carreira no Lisboa Belém Open

Fotografia: Beatriz Ruivo/Lisboa Belém Open

LISBOA — À terceira edição, aí está a primeira vitória de Gastão Elias no Lisboa Belém Open, Challenger ATP que se traduz no maior torneio de ténis organizado no concelho lisboeta.

No dia em que desceu 28 posições no ranking devido à perda dos pontos relativos às meias-finais alcançadas em Braga no ano de 2018 (é agora o 335.º colocado), o jogador português de 28 anos conseguiu reencontrar as boas sensações ao superar Federico Gaio (202.º), por 6-4 e 7-6(3), para celebrar pela primeira vez no torneio que acontece no CIF — Club Internacional de Foot-Ball.

Esta foi a terceira vitória para o português em três encontros frente ao italiano, e novamente em dois sets — em 2014 já o tinha vencido no torneio de Porto Alegre (6-4 e 6-1) e em 2015 em Caltanissetta (6-1 e 7-5).

Em 2017, Gastão Elias tinha sido derrotado na ronda inaugural do Lisboa Belém Open por Joris De Loore, enquanto em 2018 teve de abdicar da participação no torneio lisboeta devido à lesão no ombro contraída na semana anterior, em plena meia-final do Challenger de Braga.

A vitória coloca Gastão Elias na segunda ronda do quadro principal de singulares, onde vai ter pela frente um osso duro de roer: Guido Andreozzi, argentino que é o terceiro cabeça de série (fruto do 98.º posto que ocupa no ranking ATP) e que este ano foi derrotado por Pedro Sousa no jogo de acesso ao quadro principal do ATP 500 de Barcelona, em Espanha.

O frente a frente é favorável ao jogador português, que venceu três dos quatro encontros disputados até à data — todos em torneios Challenger e todos em terra batida ao ar livre, condições semelhantes às deste Lisboa Belém Open.

Última atualização às 22h18: Pedro Sousa ganhou a Guido Andreozzi em Barcelona, e não o contrário como inicialmente foi reportado.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."