Três anos depois, Djokovic volta a ser rei e senhor em Madrid

Novak Djokovic é o grande vencedor da edição deste ano do Mutua Madrid Open, após o sérvio ter derrotado Stefanos Tsitsipas em sets diretos na final do Masters 1000 que se realiza na Caja Mágica, em Madrid.

Num encontro com parciais equilibrados, Djokovic acabou por ser mais eficaz na concretização das chances de que dispôs perante um Tsitsipas sem soluções para contrariar o jogo do sérvio, o que ditou uma vitória do número um mundial por intermédio dos parciais de 6-3 e 6-4.

No primeiro parcial, o campeão do Australian Open entrou “a matar”: com um break logo no segundo jogo, na primeira vez que Tsitsipas servia no encontro, o jogador natural de Belgrado conseguiu desde aí então uma liderança que depois, dada a boa gestão dos seus jogos de serviço, se revelou irrecuperável para o seu jovem oponente grego.

Sempre seguro com o seu primeiro golpe, Djokovic, que já no encontro das meias-finais de ontem frente a Dominic Thiem (7-6[2] e 7-6[4]) tinha jogado a um nível parecido com o que havia mostrado em Melbourne, manteve a toada na segunda partida mas contou com um Tsitsipas mais aguerrido que dificultou um pouco mais a tarefa.

Ainda assim, à passagem do nono jogo o campeão do Millennium Estoril Open acabou por baquear ao ceder o seu serviço e viu depois o sérvio confirmar a vantagem e consequente triunfo ao terceiro match point, voltando a fazer a festa num grande palco quase quatro meses depois.

Com a conquista do seu terceiro título na capital espanhola (2011 e 2016 foram os outros anos em que se sagrou campeão) e segundo da temporada, Novak Djokovic passa também a contar com 74 títulos na sua vitrina e aumenta a sua vantagem na liderança para Rafael Nadal no ranking visto que no ano passado o sérvio cedeu na segunda ronda e o espanhol perdeu nos quartos de final.

Avatar
Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.