Federer é o quarto tenista da história a chegar às 1.200 vitórias em singulares

Martina Navratilova, Chris Evert, Jimmy Connors e agora Roger Federer.

Com a vitória desta quinta-feira sobre Gael Monfils, o jogador suíço tornou-se no quarto tenista da história a chegar às 1.200 vitórias ao mais alto nível na variante de singulares.

Para conseguir o triunfo — o segundo consecutivo neste regresso ao pó de tijolo — teve de suar, salvar dois match points e apurar as pancadas (e a tática) a tempo do tie-break da terceira partida, que só se concluiu quando o relógio do campo marcava 2h01 de encontro (o parcial inaugural terminou aos 18 minutos).

Os 1.200 triunfos de Roger Federer no circuito masculino só ficam atrás dos 1.274 somados pelo norte-americano Jimmy Connors (que é ainda o único jogador com mais títulos do que ele — 109 contra 101).

Mas na história da modalidade há ainda outros dois nomes à frente do helvético: Chris Evert, que ao longo da carreira venceu 1.304 encontros, e Martina Navratilova, a recordista, com nada mais, nada menos do que 1.442 triunfos na variante individual.

As “vitórias redondas” de Roger Federer:

– 100: 7-6(3) e 6-4 vs. Julien Boutter, meias-finais de Basileia 2001
– 200: 4-6, 7-6(4) e 6-2 vs. Mikhail Youzhny, meias-finais de Halle 2003
– 300: 6-0, 7-6(3) e 6-0 vs. Lleyton Hewitt, final do US Open 2004
– 400: 6-4, 6-0, 3-6, 4-6 e 6-2 vs. Tommy Haas, oitavos de final do Australian Open 2006
– 500: 6-4 e 6-0 vs. David Ferrer, quartos de final de Monte Carlo 2007
– 600: 6-3, 7-5 e 6-4 vs. Thiago Alves, segunda ronda do US Open 2008
– 700: 6-4, 6-0 e 6-4 vs. Julian Reister, terceira ronda de Roland Garros 2010
– 800: 6-3 e 7-5 vs. Juan Monaco, quartos de final do Masters de Paris, 2011
– 900: 6-1, 4-6, 2-6, 6-2 e 6-3 vs. Gilles Simon, oitavos de final de Roland Garros 2013
– 1.000: 6-4, 6-7, 6-4 vs. Milos Raonic, final de Brisbane 2015
– 1.100: 6-3 e 6-1 vs. Yuichi Sugita, primeira ronda de Halle 2017
– 1.200: 6-0, 4-6 e 7-6(3) vs. Gael Monfils, oitavos de final de Madrid 2019

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."