Frederico Silva soma uma das melhores vitórias da carreira rumo aos oitavos de final do Braga Open

Fotografia: Margarida Moura/Federação Portuguesa de Ténis

BRAGA — A jogar pelo segundo dia consecutivo, Frederico Silva somou esta quarta-feira uma das melhores vitórias da carreira para inscrever o nome na terceira ronda (ou oitavos de final) do Braga Open, onde também já está João Domingues.

Inicialmente escalado para o court central do Clube de Ténis de Braga, o tenista caldense teve de esperar várias horas até poder entrar finalmente em ação e noutro campo — o court 1, para o qual o encontro foi transferido depois de um longo atraso devido à chuva.

No entanto, Frederico Silva conseguiu entrar muito bem no encontro e apresentar um excelente nível para fazer Bjorn Fratangelo (141.º do ranking e primeiro cabeça de série) passar um mau bocado.

Completamente no comando durante todo o parcial inaugural, o jogador português não conseguiu manter o ascendente no segundo set e ao baixar o nível permitiu ao norte-americano recuperar. Depois, e mesmo já não estando fresco fisicamente, Frederico Silva voltou a entrar bem e após desperdiçar seis break points distribuídos por dois jogos tomou novamente o controlo da situação, acabando por triunfar com os parciais de 6-2, 2-6 e 6-3.

Esta é a primeira vez em 2019 que Frederico Silva chega à terceira ronda de um torneio Challenger, ele que esteve parado durante vários meses até resolver duas hérnias inguinais que só lhe permitiram regressar aos courts a meio do mês de março.

A separá-lo dos quartos de final, o número seis nacional tem o espanhol Bernabe Zapata Miralles, que esta quarta-feira superou o 15.º cabeça de serie, Evgeny Karlovskiy, por 6-1 e 6-4.

O historial entre ambos regista dois encontros e duas vitórias a favor do espanhol, uma das quais este ano, no Challenger de Lille (a outra aconteceu no ITF de Carcavelos, há dois anos, e só foi consumada no tie-break da terceira partida).

Atualizado às 20h04.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."