Félix Auger-Aliassime, apenas 18 anos e já tanto para contar

Está na segunda ronda do Mutua Madrid Open, prova de categoria Masters 1000 onde esta quarta-feira vai defrontar Rafael Nadal, e tem protagonizado uma época fantástica em que já atingiu a final do ATP 500 do Rio de Janeiro e as meias-finais do Miami Open.

Filho de um professor de ténis do Togo e de uma professora canadiana, Félix Auger-Aliassime nasceu em Montreal, no Canadá, e começou a dar os primeiros passos no ténis pela mão do pai, aos 5 anos.

Ganhou o primeiro torneio ITF em 2015 e nesse mesmo ano participou pela primeira vez no US Open júnior, onde chegou à segunda ronda e na vertente de pares arrebatou o título ao lado do seu compatriota Denis Shapovalov. No ano seguinte foi finalista em Roland Garros, cedendo para Geoffrey Blancaneaux e venceu o último Grand Slam da temporada, o US Open. Estes resultados levaram-no a atingir o segundo lugar do ranking mundial júnior.

A transição para o circuito profissional deu-se em 2017. Em junho, com 16 anos, ganhou o primeiro título Challenger em Lyon, voltando a repetir tal proeza em setembro, na prova de Sevilha. Um ano mais tarde, na mesma prova de Lyon, voltou a vencer, feito que repetiu em Tashkent, terminando o ano como o jogador mais jovem do top 175.

Em 2019, iniciou o ano na posição 106 da hierarquia mundial e em fevereiro chegou à final do Rio Open, não conseguindo vencer Laslo Djere (31.ºATP) no derradeiro encontro. Ainda assim, tornou-se no jogador mais jovem a chegar à final de um torneio de categoria ATP 500. E umas semanas mais tarde atingiu as meias-finais do Masters 1000 de Miami, feito que o levou a subir no ranking e atualmente está no top 35 da hierarquia mundial.

Nos tempos livres, Auger-Aliassime gosta de tocar piano e estar com a familia e tem como principais referências no ténis Roger Ferderer e Jo-Wilfried Tsonga.

Esta semana, em Madrid, começou por derrotar o amigo Denis Shapovalov no encontro da primeira jornada, mostrando em campo uma concentração fora do normal para alguém da sua idade. Essa vitória valeu-lhe o estatuto de jogador mais novo de sempre (tem 18 anos e 9 meses) a vencer encontros em seis ATP Masters 1000 diferentes, superando o registo de Rafael Nadal (que o fez em cinco torneios).

E por falar no espanhol… O “exame” desta quarta-feira passa precisamente por um encontro frente ao Rei da terra batida. Conseguirá o “miúdo” de 18 anos vencer a estrela da casa? Voltará a fazer história? Resta esperar para ver.

Rita Costa Ferreira
Praticante desde cedo, seguidora uns anos mais tarde mas sempre com a esperança que o ténis português, em especial o feminino, consiga um dia chegar ao topo.