Pablo Cuevas: “Estou feliz por estar até ao último dia e ter a oportunidade de ser campeão”

Millennium Estoril Open

Uma semana depois de ter perdido na última ronda da fase de qualificação, Pablo Cuevas está na grande final do Millennium Estoril Open 2019 após uma vitória ‘arrancada a ferros’ contra o surpreendente Alejandro Davidovich Fokina. No rescaldo ao encontro, o veterano uruguaio deu conta da sua felicidade por ter conseguido a qualificação para a sua primeira decisão no circuito ATP em mais de dois anos.

“A verdade é que é uma semana atípica na qual acabei de jogar na sexta-feira da semana passada em Budapeste às 19h e no outro dia apanhei um avião de manhã para jogar à tarde aqui. Ganhei esse encontro, depois ainda estive na última ronda da fase de qualificação e por último a chance de entrar como lucky loser“, começou por referir Cuevas em alusão ao facto de ter viajado à última hora para começar por disputar o qualifying no Clube de Ténis do Estoril antes de entrar na principal grelha de participantes graças a uma desistência.

“De seguida calhou-me enfrentar quem me tinha derrotado [Salvatore Caruso], algo que sucede poucas vezes, e na segunda ronda tenho pela frente um lucky loser que também estava no quadro principal por uma desistência [Filippo Baldi] mas tinha um pouco de pressão por estar com ranking inferior ao meu. O que é certo é que tenho aproveitado imenso a semana, uma semana muito comprida, pelo que estou feliz por estar até ao último dia e ter a oportunidade de ser campeão”, frisou depois o antigo top-20 mundial.

Em relação à quebra física de Davidovich Fokina na fase final do embate, o jogador natural de Salto afirmou que “ele já vinha com vários encontros nas pernas, no segundo set quando estava por cima começou a sentir-se incómodo e isso acabou por me deixar mais tranquilo e a abstrair-me dos meus problemas e cansaço. Vi que ele estava em pior condição pelo que relaxei, sabia que ser consistente e aguentar o momento era importante e creio que consegui fazê-lo bem. Penso que ele terminou muito cansado, não terá jogado seguramente o seu melhor embate talvez pela tensão e isso desgastou-o mais.”

Numa antevisão à final de amanhã, Pablo Cuevas salienta que Stefanos Tsitsipas “é um jogador muito jovem mas que na sua curta carreira já tem muita experiência”. “Não será a experiência de muitos anos por aqui mas sim o nível que apresenta e creio que vai ser um jogo muito difícil. Ele é um dos melhores tenistas do momento, tem feito excelentes encontros sobre terra batida, mas penso que tenho armas para poder medir forças com ele e tentar vencê-lo. Por isso agora há que descansar e amanhã vir confiante e preparado para um duelo difícil, mas logicamente se estou na final porque não tentar ganhar-lhe?”, atirou.

Avatar
Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.