Gastão Elias com sorteio pouco simpático no Challenger de Francavilla

Não foi um sorteio propriamente simpático aquele que saiu a Gastão Elias em vésperas do regresso a Portugal para disputar pelo menos dois dos três torneios marcados para solo nacional nas próximas semanas.

Vindo da Flórida, onde ultrapassou uma ronda no torneio de Sarasota, o tenista português vai a jogo no Challenger de Francavilla, em Itália, mas tem um quadro complicado pela frente: estreia-se frente ao espanhol David Perez Sanz (número 518 ATP que entrou no quadro graças ao terceiro posto que ocupa na tabela ITF) e em caso de vitória mede forças com o primeiro cabeça de série Maximilian Marterer, o 101.º melhor jogador da atualidade.

A fase final do torneio italiano coincide com a fase de qualificação do Millennium Estoril Open. A organização do torneio português ainda tem à sua disposição um wild card para o quadro principal, mas o diretor João Zilhão já fez saber que o mais provável é esse convite ser entregue a um jogador estrangeiro.

Assim, o cenário mais provável é a atribuição de um wild card para a fase de qualificação do ATP 250 português, ao qual se seguem os Challengers de Braga (Braga Open) e Lisboa (Lisboa Belém Open).

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."