Bernardo Gândara e Tomás Luís conquistam título de pares na Islândia

Mais uma semana, mais boas prestações além-fronteiras dos representantes portugueses no circuito internacional de sub-18: depois do vice-campeonato de Hugo Maia, Bernardo Gândara & Tomás Luís conquistaram esta sexta-feira o título do Grade 5 de Reykjavík.

A dupla nacional, que atuava em conjunto pela primeira vez e defendia o estatuto de terceira cabeça de série da prova islandesa que se desenrolou sobre carpete, alinhou uma campanha notável e perdeu somente um set ao longo da competição, precisamente na final, onde superaram os primeiros pré-designados, os suecos Leo Borg e Karl Fredrik Utheim, por 6-7(4), 7-5 e [10-8], para se estrearem na galeria de campeões a este nível.

Se nos pares a participação correu de feição, também na variante de singulares tanto Gândara como Luís brilharam: o primeiro foi eliminado apenas nos quartos de final, sendo que o último só parou nas meias-finais depois de ter passado pelo qualifying.

Começando por Bernardo Gândara, atual 1807.º do ranking, o atleta do LX Team confirmou o estatuto de sétimo favorito para bater consecutivamente o lucky loser canadiano Thomas Wallace por 6-2 e 6-2 e o letão Daniils Snaiders (2222.º) também por 6-2 e 6-2. No top-8, porém, o lisboeta não conseguiu dar o melhor seguimento e acabou por ser eliminado pelo dinamarquês Mads Tagesen através dos parciais de 6-1 e 6-0.

Já Tomás Luís, entrou à última hora no torneio realizado no Norte da Europa e por isso teve de disputar a fase de qualificação. Ainda assim, tal facto não foi um problema para o jovem algarvio, segundo pré-designado do qualifying, que derrotou os franceses Johann Rakotomaharo (6-1 e 6-2) e Lois Bonneau (6-7[5], 6-0 e 6-1) rumo ao quadro principal.

Na maior grelha de participantes, e sendo o oitavo cabeça de série desta fruto da 1860.ª posição que ocupa na hierarquia mundial de juniores, Luís esteve novamente em evidência ao somar vitórias contra o qualifier francês Ivan Trevisiol (2222.º) por 6-2 e 6-2, frente ao letão Markuss Tions (2550.º) também por 6-2 e 6-2 e, depois, contra o principal favorito ao título, Leo Borg (575.º), por 4-6, 6-1 e 6-2.

Muito perto do derradeiro encontro individual do evento sediado na capital da Islândia, o jogador luso de 16 anos viria a sua excelente prestação, que já havia sido refletida em cinco triunfos consecutivos, chegar ao fim às mãos do quarto candidato, o dinamarquês Jesper Jorgensen (970.º), por intermédio dos parciais de 6-1 e 7-5.

Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.