Pela primeira vez em 23 anos, os irmãos Bryan não vão jogar juntos num Grand Slam

Fotografia: Rolex Monte-Carlo Masters

O infortúnio bateu à porta de Bob Bryan e pela primeira vez em 23 anos de parceria, os irmãos Bryan não vão atuar juntos num torneio do Grand Slam. A edição de 2018 de Roland Garros marca esse ‘afastamento’, com aquela que é considerada uma das melhores duplas de sempre a interromper uma série de 76 Majors.

Desde o Masters de Madrid que Bob estava a contas com uma lesão na anca, o que obrigou o duo a retirar-se durante o torneio e a falhar posteriormente o Masters de Roma (na altura deram lugar a João Sousa e Pablo Carreño no quadro principal), sendo que esse constrangimento não foi ultrapassado, levando à desistência do Grand Slam parisiense.

Apesar da não participação do irmão gémeo em Paris, Mike Bryan irá a jogo, mas com um parceiro diferente, o seu amigo de longa data, Sam Querrey. O seu compatriota será o sétimo jogador — que não Bob — com que Mike fará parceria, ele que afirma que Querrey trará novas armas à equipa.

“Não sei bem o que esperar. O [Querrey] vai trazer muitas armas para cima da mesa, vai trazer poder de fogo. Vai ser engraçado, somos muito chegados”, disse sobre a parceria inédita.

Com 116 títulos conquistados em conjunto, entre eles 16 do Grand Slam, os irmãos Bryan contam voltar a jogar juntos no torneio de Queen’s, que tem início a 18 de junho.

Total
1
Shares

Leave a Reply

Total
1
Share