Com este Djokovic a música é outra

Djokovic Roma
Fotografia: Giampiero Sposito

Novak Djokovic (18.º) tem razões para estar satisfeito com a sua prestação na 75.ª edição do Masters de Roma, na medida em que chega aos quartos de final da prova com três vitórias tranquilas em dois sets.

Com um sorteio altamente favorável nestas primeiras rondas por vezes traiçoeiras, o quatro vezes campeão no Foro Italico não desperdiçou a oportunidade de ir adquirindo mais ritmo, de aprimorar o seu nível de jogo e de reforçar os seus índices de confiança — tudo isto às custas de vitórias frente a Alexandr Dolgopolov, Nikoloz Basilashvili e Albert Ramos.

Esta quinta-feira, no penúltimo encontro da jornada no principal campo do complexo italiano, Djokovic não sentiu dificuldades para eliminar o tenista espanhol, 41.º do ranking mundial, com recurso aos parciais de 6-1 e 7-5, para regressar aos quartos de final de um torneio Masters pela primeira vez desde maio do ano passado (precisamente em Roma).

Diga-se que o antigo número 1 do mundo, finalista da prova italiana em 2017, ainda só perdeu o seu serviço uma vez esta semana, hoje, quando não conseguiu fechar o encontro a 6-1 5-4.

Mas a partir de amanhã (sexta-feira), as coisas tendem a aquecer para o sérvio de 30 anos, que defrontará no jogo de acesso às meias-finais (não antes das 15h00) o japonês Kei Nishikori (24.º), num encontro que será a reedição da primeira ronda do torneio de Madrid.

Os restantes confrontos dos quartos de final têm o seguimento emparelhamento: Rafael Nadal vs. Fabio Fognini (11h00), Pablo Carreño Busta vs. Marin Cilic (não antes das 13h00) e David Goffin vs. Alexander Zverev (não antes das 20h00) — todos com transmissão na Sport TV 3.

Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade. Contacto: joaocorreia@raquetc.com