Gastão Elias e o apuramento para as ‘meias’: “Fiz com que a vitória fosse bem mais tranquila”

BRAGA – Pela primeira vez esta temporada, Gastão Elias vai lutar pela presença na final de um torneio Challenger. O jogador de 27 anos teve uma tarde tranquila esta sexta-feira para conseguir marcar encontro com Pedro Sousa.

Depois de dois primeiros jogos em que saiu mais satisfeito do court com os resultados do que com os níveis exibicionais, o número dois nacional considerou que esta sexta-feira houve um aumento do seu nível de ténis, facto que tornou o encontro frente a Sergio Gutierrez-Ferrol mais fácil.

“Fiz com que a vitória fosse bem mais tranquila. Ele é um jogador bastante perigoso, tem uma grande direita que pode causar dificuldades de qualquer ponto do campo e acho que a chave do jogo foi a minha consistência. Estive consistente mais tempo, que era o que não tinha conseguido nos meus últimos dois jogos, e isso fez com que ele a certo momento do jogo fosse um pouco abaixo e ficasse sem opções”, analisou o tenista da Lourinhã em declarações ao Raquetc.

Sobre o próximo adversário — que na altura em que conversámos com o português ainda não era conhecido –, Gastão Elias considera que será, sem dúvida, complicado e que não há favoritos.

“Vai ser duro, vai ser duro. Em termos de ranking sou o favorito, mas não me considero favorito de maneira nenhuma. Jogar contra portugueses é sempre diferente, os rankings nunca entram muito em ação. Têm jogado a um grande nível estas duas semanas e portanto vai ser um jogo bastante difícil”, considerou o primeiro cabeça de série do Challenger bracarense.

Total
2
Shares

Leave a Reply

Total
2
Share