“Vimos tudo a andar para trás no match point”, confessam Gastão Elias e Pedro Sousa

Elias-Sousa EO

Gastão Elias e Pedro Sousa começaram da melhor forma a sua aventura no quadro de pares do Millennium Estoril Open de 2018 com uma vitória em terceiro set sobre a dupla experiente formada por Jonathan Erlich e Scott Lipsky.

Logo após o encontro, na zona mista, os portugueses mostraram-se bastante à vontade com os jornalistas e começaram por assumir que já esperavam um jogo muito difícil. “São uma dupla muito experiente, inclusive um deles já ganhou por cinco vezes em Portugal [Lipsky]”, garantiu Gastão Elias.

“O primeiro set parece que foi de sentido único [2-6], mas nós não sentimos isso. Foram três pontos de ouro [ponto decisivo jogado no 40-40], portanto podia ser 6-2 para nós. Basicamente acreditamos sempre que podíamos dar a volta e conseguimos aproveitar as oportunidades no segundo set [6-2]”, acrescentou o jogador natural da Lourinhã.

Quando questionados sobre o momento do jogo, os portugueses brincaram com o terceiro match point desperdiçado pelo par 100% luso. “Vimos tudo a andar para trás naquele match point“, confessou o segundo português mais bem colocado no ranking mundial.

Já, Pedro Sousa comentou que gostou do encontro, mas que custou-lhe muito entrar no jogo. “Demorei bastante a aquecer, ainda para mais depois do encontro de ontem [segunda-feira], mas fui-me sentindo melhor ao longo do jogo”, concluiu o jogador natural de Lisboa.

 

Diogo Leite
Licenciado em Gestão e com o Mestrado em Finanças concluído. É um apaixonado por ténis e padel. Adora conhecer tudo e todos dentro da modalidade, bem como estar a par das recentes notícias.