Na reedição da última final do Millennium Estoril Open, voltou a ganhar o campeão

Pablo Carreno Busta
Semi-finalista em Nova Iorque, Pablo Carreño-Busta está uma vez mais a dar-se bem em torneios do Grand Slam

De um lado Pablo Carreño-Busta, do outro Gilles Muller. É-lhe familiar? Não é de estranhar: foram eles os protagonistas da mais recente final do Millennium Estoril Open e esta madrugada voltaram a estar frente-a-frente, com o espanhol a levar uma vez mais a melhor para chegar à quarta ronda do Australian Open.

À entrada para o encontro, o tenista espanhol somava 13 vitórias em 16 encontros disputados em torneios do Grand Slam desde o início da última época. E como missão tinha chegar pela primeira vez aos oitavos de final em Melbourne, tarefa que não foi fácil de completar mas que ao fim de 3h18, e com os parciais de 7-6(4), 4-6, 7-5 e 7-5, conseguiu mesmo.

Ao contrário do que aconteceu no Estádio Millennium, em que a decisão ficou concluída em parciais diretos — apesar de muito equilíbrio no último –, na madrugada desta sexta-feira Carreño-Busta teve de trabalhar mais para conseguir a vitória. Isto porque Muller, que se dá muito bem em superfícies rápidas, soube fazer uso do seu poderio ofensivo para criar mais dificuldades (como provam os 74 winners que “disparou”.

O duelo ficou, também, marcado por um grande equilíbrio no capítulo do serviço, com ambos os jogadores a darem muito poucas hipóteses ao adversário: Carreño-Busta venceu 77% dos pontos disputados no seu primeiro saque e só enfrentou quatro break points, dos quais salvou três; já Muller, venceu 84% dos pontos na primeira bola e enfrentou igualmente quatro pontos de break, tendo cedido em dois.

A vitória dá ao mais recente campeão do ATP 250 português o acesso inédito aos oitavos de final do primeiro Grand Slam da temporada. Apesar de ainda não conhecer o seu adversário, o número 2 espanhol sabe que sairá do confronto entre Marin Cilic, carrasco de João Sousa na ronda anterior, e Ryan Harrison.

Total
1
Shares
Total
1
Share