Marta Kostyuk bem-disposta após derrota: “Tive uma lição de 1h com a Svitolina de graça”

Marta Kostyuk
Agora, seguem-se uns dias de descanso antes de voltar à ação (novamente em solo australiano)

Caiu, mas caiu de pé. E Marta Kostyuk sabe-o. De tal forma que pouco depois da derrota se apresentou muito bem-disposta numa das salas de conferências de imprensa do Australian Open, onde refletiu sobre a semana inesquecível e “brincou” com o desaire frente à compatriota Elina Svitolina.

Quanto é que acham que se tem de pagar à Svitolina para ter uma lição de uma hora? Eu tive uma de graça“, começou por dizer, com um ligeiro sorriso, a jovem ucraniana de 15 anos, que se apresentou já recomposta da quebra emocional que teve no final do encontro.

Como a própria disse, “chorei como se tivesse perdido depois de ter match points porque estava muito desiludida. Sei que podia ter jogado muito melhor, não joguei nada bem. Crédito para ela, claro, é uma excelente jogadora, mas eu não joguei nada bem.” E aponta algumas razões: “Tive hipóteses mas porque pensei que ela era incrível, que era uma Deusa e que não havia nada que pudesse fazer contra ela não as consegui aproveitar.”

Esta sexta-feira, o serviço foi a pancada que menos segurança deu a Marta Kostyuk. E a ucraniana, muito humilde, explicou porquê: “Quando joguei o encontro anterior na Margaret Court Arena também tive problemas com o serviço. A diferença é que o court era um pouco mais pequeno e eu não jogo todos os dias em courts tão grandes. Não me consegui habituar a todo este público.

Na ordem das últimas 48h tem estado, também, o calor intenso que se faz sentir em Melbourne e Kostyuk, que é natural da fria cidade de Kiev, confessou ter sentido problemas durante o encontro desta sexta-feira: “Esse também foi um problema muito grande porque a cada jogo perdia mais e mais energia. É muito desgastante. Entretanto habituei-me mas no segundo set era demasiado tarde. Estava tão quente… No exterior estavam 40 graus e no court a superfície estava de certeza a 70.

Agora, Marta Kostyuk terá pela frente “uns dias de descanso para assimilar tudo isto” antes de voltar à ação, novamente em solo australiano. Será em Camberra, a capital do país, e na Fed Cup — onde aos 15 anos fará a sua estreia na equipa principal. “Adoro jogar a Fed Cup. Não interessa se é em júniores, profissionalmente… Adoro jogar pelo meu país, é um dos meus torneios favoritos.”

As notícias deixarão certamente satisfeitos os responsáveis pela equipa visitante, que parte para a Austrália com a vantagem de 3-1 no confronto direto.

Total
2
Shares
Total
2
Share