Stan Wawrinka: “É ótimo estar de volta e vencer”

Wawrinka AO
Fotografia: Luke Hemer/Tennis Australia

Stan Wawrinka regressou oficialmente ao circuito na passada madrugada e logo com uma vitória na estreia na edição deste ano do Australian Open (6-3, 6-4, 2-6 e 7-6[2] sobre o lituano Ricardas Berankis). Embora tenha ainda cedido um set, o número dois suíço revelou-se feliz por ter ultrapassado o seu primeiro obstáculo.

“É ótimo estar de volta. Ainda mais excelente é ter conseguido vencer, claro. Foi um duelo duro em todos os aspetos do jogo e da energia depositada. Mas no geral estou bastante satisfeito por ter superado um embate destes, por ter lutado da forma como o fiz hoje e por ter acabado por sair triunfal”, disse.

O veterano tenista de 32 anos de idade, cujo próximo adversário no Happy Slam é o norte-americano Tennys Sandgren (6-4, 7-6[2] e 6-2 contra o francês Jeremy Chardy), não negou ter sentido ainda algumas dores no seu encontro inaugural.

“Sim, ainda senti claramente algumas dores. Como disse, ainda sinto alguma dor. Depende da forma como me movimento, de como forço o jogo de pés. Mas estou na direção certa. Isso são as melhores notícias. Ver que o joelho está a aguentar, que consigo voltar a jogar um encontro com todo o stress, tensão e hesitação subsequentes. Além de que o joelho não se mexeu depois de três horas de jogo, portanto isso é muito bom”, apontou “Stan The Man”.

Preferindo não comentar o tão badalado assunto que respeita ao aumento de prize money, embora tenha estado presente na reunião conduzida por Novak Djokovic, por estar completamente focado na sua recuperação e regresso, Wawrinka não descartou a hipótese de reduzir o número de torneios para esta temporada.

“Vamos ver, eu não acho que vá mudar assim tanto. O plano é precisamente o oposto: jogar mais do que o previsto caso o joelho aguente porque não joguei durante seis meses. O primeiro objetivo era vir para aqui e ver se seria capaz de jogar. Venci o primeiro encontro. Agora irei concentrar-me no torneio. Sei que depois disso, tenho ainda muito trabalho pela frente. Preciso mesmo de ser paciente pois tenho muito treino para fazer se quero voltar ao meu melhor nível. No entanto, há muitas ilações positivas a retirar neste momento”, terminou.

Total
1
Shares
Total
1
Share