Milos Raonic volta a cair à primeira e tem a presença no top 30 em risco

Milos Raonic

Como num ano tudo muda… Milos Raonic foi esta terça-feira eliminado na primeira ronda do Australian Open, despedindo-se de um torneio do Grand Slam no encontro de estreia pela primeira vez desde 2011. O canadiano, que viveu um final de 2017 perturbado por lesões, deverá mesmo sair do top 30.

Se correu bem nos casos de Novak DjokovicStan Wawrinka, já no que diz respeito ao tenista canadiano a estreia no primeiro Grand Slam da época não terminou de forma nada feliz. A “culpa” foi de Lukas Lacko, o eslovaco que até entrou a perder mas acabou a vencer por 6-7(5), 7-5, 6-4 e 7-6(4).

E assim Milos Raonic segue sem ganhar em 2018. O canadiano já tinha perdido na ronda inaugural do torneio de Brisbane (onde foi campeão há dois anos) e com a derrota desta madrugada sai de Melbourne com o seu pior resultado de sempre, só igualado pelas campanhas de 2010 no US Open e 2011 em Roland Garros.

Mas para o melhor tenista canadiano de todos os tempos o “pesadelo” não se fica por aqui. Não. É que Milos Raonic, que em 2017 se viu a contas com várias lesões, deverá mesmo abandonar o top 30 mundial pela primeira vez desde 2 de janeiro de 2012, visto que tinha os pontos dos quartos de final de há um ano a defender.

Zverev seguro

Estreia mais feliz teve o australiano Alexander Zverev, que chega ao Australian Open como quarto classificado no ranking ATP. Depois do melhor ano da carreira, o alemão quer fazer corresponder finalmente todo o seu talento a resultados nos torneios do Grand Slam e que palco melhor para isso do que o Australian Open? É que, há um ano, o jovem alemão ficou-se pela terceira ronda mas só depois de levar Rafael Nadal a cinco sets (4-6, 6-3, 6-7[5], 6-3 e 6-2).

Mas vamos ao presente: esta terça-feira, Zverev derrotou Thomas Fabbiano por 6-1, 7-6(5) e 7-5 em 2h22 para marcar encontro com o compatriota Peter Gojowczyk, que venceu Mikhail Kukushkin por 6-3, 6-3 e 6-1.

Total
2
Shares
Total
2
Share