Torneio de Sydney arranca em condições quase inéditas (e perto de impraticáveis)

Sydney International

Calor, muito calor. De tal forma arrasador que as autoridades anunciaram este domingo como o dia mais quente do ano na história da cidade de Sydney. A informação acabou por ser corrigida mas é, ainda assim, em condições (quase) inéditas que o Apia International arranca. A partir deste fim de semana, e até ao próximo, joga-se muito e bom ténis na cidade australiana, mas sob muito calor.

O torneio é um dos últimos de preparação para o Australian Open, o primeiro torneio do Grand Slam da temporada. E, como tal, conta com várias figuras de relevo quer de um, quer de outro circuito. E será disputado em condições muito semelhantes às que fizeram deste domingo um dia histórico: registaram-se 47.3 graus celsius — um valor que parecia suficiente para considerar o domingo, 7 de janeiro como o dia mais quente da história de Sydney.

A designação acabou por ser corrigida — a temperatura foi bem medida, mas os responsáveis pelo departamento de meteorologia da metrópole descobriram entretanto que, no ano de 1939, se tinham verificado 47.8 graus em Richmond.

É verdade que o verão australiano e, consequentemente, a primeira parte da temporada costuma ser marcada por elevadas temperaturas ao longo de muitos dos dias de competição, mas a situação atual indicia um ano sem igual.

A julgar pelo que se assistiu em anos anteriores, não será por isso difícil estrelar um ovo em plenos courts de Melbourne Park. Novak Djokovic e Jo-Wilfried Tsonga que o digam.

Total
2
Shares
Total
2
Share