Hugo Maia e Maria Inês Fonte entre os primeiros campeões do Masters Circuito Juvenil FPT

Campeões sub 16 Masters Circuito Juvenil FPT
Fotografia: Federação Portuguesa de Ténis

2017 chega ao fim com a consagração dos primeiros campeões do Masters Circuito Juvenil FPT. O torneio, que se estreou no calendário, foi organizado pela Federação Portuguesa de Ténis e reuniu os oito melhores jogadores e jogadoras do ano nos escalões de sub 12, sub 14 e sub 16 no Clube de Ténis do Estoril.

Ao longo de três dias, e com alguma chuva própria da estação à mistura, 48 jovens jogadores lutaram pelos títulos (e prémios) do final de semana. Um final de semana diferente do habitual, atendendo ao formato da competição: à semelhança do que acontece nos circuitos internacionais, também o Masters Circuito Juvenil FPT arrancou com uma fase de grupos e, só depois, os encontros a eliminar.

Assim, no escalão de sub 12 as vitórias ficaram a cargo de Joana Luz e José Freitas. A jogadora do Clube de Ténis Paço do Lumiar derrotou Isabel Gonçalves, por 6-3 e 6-2, enquanto o jogador do Open Village Sports venceu Rodrigo Fernandes (Clube de Ténis de Braga) por 6-1 e 6-1..

Já em sub 14, a vimaranense Matilde Jorge levou a melhor sobre Rita Trocado, da Vilamoura Tennis Academy, pelos parciais de 6-3 e 6-3. E no quadro masculino foi Miguel Gomes (do Clube de Campo Quinta da Moura) quem ficou com o troféu de campeão, ao levar de vencida Guilherme Serapicos (do CT Braga) com 6-0 e 6-2..

A terminar, a competição de sub 16 viu Maria Inês Fonte e Hugo Maia sagrarem-se campeões. A jogadora da Maia, que atualmente integra a equipa feminina do Centro de Alto Rendimento, impôs-se sobre Carolina Cardoso (ex-parceira de treinos na Escola de Ténis da Maia), por 6-2 e 6-1. Hugo Maia, por O atleta do Clube de Ténis de Braga, por sua vez, foi mais forte do que Pedro Araújo, da Escola de Ténis Jaime Caldeira, e ergueu o troféu mais desejado graças ao triunfo por 6-3, 3-6 e 6-3 na final mais equilibrada do dia.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."