Maria João Koehler volta a ficar a um passo da final do Lisboa Women’s Open

LISBOA – Um ano depois, quiseram as circunstâncias que o desfecho da primeira edição se repetisse e Maria João Koehler voltasse, por isso, a cair nas meias-finais do quadro principal do II Lisboa Women’s Open, o torneio internacional feminino organizado pelo Lisboa Racket Centre.

A jogar em casa, a tenista portuense de 24 anos procurava, na meia-final deste sábado, garantir a passagem à sua primeira final desde o torneio de Ponta Delgada, em setembro de 2016. Só que a tarefa não era fácil (teve pela frente a espanhola Nuria Parrizas-Diaz, primeira cabeça de série) e, apesar da muita resistência oferecida, o resultado final não lhe foi favorável.

Frente a frente pela segunda vez na história (na primeira, Nuria Parrizas-Diaz levou a melhor), a portuguesa e a espanhola proagonizaram uma enorme batalha, que precisou de 2h43 e três parciais para ser concluída a favor da primeira candidata ao título, com os parciais de 7-5, 3-6 e 6-4.

Num encontro em que as pancadas de direita se apresentavam como as mais decisivas para cada um dos lados, o serviço ‘tramou’ por algumas vezes Maria João Koehler, que só no primeiro parcial cometeu 12 duplas faltas e viu a adversária vencer quatro jogos no seu serviço (contra três da sua parte).

Ainda assim, a jogadora portuense de 24 anos conseguiu colmatar um dia menos feliz na sua primeira pancada com o espírito de lutadora que a ‘prende’ a cada um dos pontos e as dificuldades que conseguia imprimir no jogo de Parrizas-Diaz graças à sua potente pancada de direita. Foi assim, aliás, que começou a recuperar terreno e a ganhar a confiança que lhe permitiu melhorar (e muito) a prestação no ‘saque’, reduzindo para 1 o número de duplas faltas no segundo parcial.

Com o marcador igualado, Koehler aumentou os níveis de eficácia e um break, conseguido logo ao terceiro jogo, parecia vir a ser decisivo para o desfecho do encontro, só que Parrizas-Diaz ainda teve forças para recuperar. A espanhola recuperou a igualdade e, entretanto, a portuguesa voltou a estar na frente, mas o serviço voltou a traí-la e foi assim que Nuria Parrizas-Diaz conseguiu o triunfo.

A derrota nas meias-finais significa o segundo afastamento nesta fase do Lisboa Women’s Open para Maria João Koehler, ela que procurava garantir presença na sua primeira final do ano em dia de aniversário (celebra amanhã, domingo, o 25.º).

Total
1
Shares
Total
1
Share