Kerber: “Vou voltar mais forte, não desisto assim tão facilmente”

Foi extremamente curta a passagem de Angelique Kerber, campeã em título, pelo US Open 2017 após a tenista alemã ter sido surpreendida na estreia pela jovem promessa japonesa Naomi Osaka. No final, em plena conferência de imprensa, a atual número seis mundial admitiu que “não foi o meu dia”.

“Penso que não foi de todo o meu dia hoje [ontem]. Claro que os encontros são sempre diferentes dos treinos e o que posso apenas dizer é que tenho treinado imenso nas últimas semanas e últimos meses. Naturalmente não é o resultado que eu esperava e estou triste, mas não sei o que se passa”, começou por frisar Kerber.

Instada a comentar o seu ano no que diz respeito aos torneios do Grand Slam, a ex-número um mundial reconhece que “foi, de facto, um ano completamente diferente”. “Não joguei tão bem como no ano passado e tive muito menos encontros na última temporada. Talvez isto não me dê também a tal confiança necessária para ir para o court, especialmente quando chegas a um torneio sem muitos encontros realizados. Penso que apenas preciso de mais jogos”, apontou.

Angelique Kerber deixou ainda a garantia de que “vou voltar mais forte” e de que “não vou desistir tão facilmente”. “Sei o quão bem posso jogar e o quanto tenho treinado nas últimas semanas mas às vezes temos dias assim. Afinal de contas, o desporto é assim: nunca sabes o que pode acontecer e ela jogou bem”, disse.

“Continuo a ser a mesma pessoa e jogadora, portanto penso que tem a ver com uma questão de estar a ter dificuldades este ano. Sei que sou forte e agora vou tentar esquecer isto o mais rápido possível e seguir em frente novamente”, concluiu a atleta germânica de 29 anos de idade.

Avatar
Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.