Brasil Open: mais polémica que elogios

Lotação praticamente esgotada em todas as jornadas. À primeira vista é a forma mais agradável de descrever o Brasil Open, que ao longo da última semana sofreu problemas de inundação, viu buracos surgirem nos courts e as linhas dos mesmos soltarem-se, além de ter contado com um apoio no mínimo caricato por parte da maioria dos espectadores presentes.
Dia após dia surgiam novas críticas aos campos e às boas: maus ressaltos, bolas pouco cheias e de má qualidade. Nem Rafael Nadal, principal figura de cartaz do torneio, poupou críticas às fracas condições apresentadas pelo ATP 250 de São Paulo e à própria Associação dos Tenistas Profissionais.
O tenista espanhol foi, inclusive, um dos primeiros a mostrar-se bastante desagradado, no seu treino inaugural na localidade brasileira, tendo inclusive treinado, dias mais tarde, num outro complexo de São Paulo.
O grande destaque do torneio foi, no entanto, todo o barulho vindo das bancadas antes, durante e após os encontros: Thomaz Bellucci foi audivelmente vaiado assim que perdeu o seu encontro para Filippo Volandri em dois sets e Nadal e João Souza foram por diversas vezes vaiados a meio do seu encontro. Razões? Muitos foram os artigos escritos, mas é difícil chegar a uma decisão final. Até à data, pode ser justificado pelo fraco ténis apresentado em certas alturas por certos jogadores e, também, pela má organização do torneio, um ponto que se segue.
Foi precisamente assim que terminou o torneio: enquanto Rafael Nadal erguia o troféu de campeão, a polémica começava a ganhar volume. Lugares a menos ou espectadores a mais? Era, de facto, notório que algo estava errado. As escadas do Ginásio Ibirapuera estavam lotadas, as diversas barras de apoio eram escondidas pelas mãos dos fãs que, de qualquer forma, tentavam assistir ao derradeiro encontro do torneio.
Surgiram rumores acerca da existência de bilhetes falsificados, de lugares a menos no complexo e, sobretudo, fortes críticas à organização do torneio, que ainda assim promete lutar pela permanência do torneio em São Paulo, e no mesmo complexo, para 2014, tendo como objectivo melhorar tudo o que despoletou polémica na edição agora terminada.

Não perca, ainda esta semana, um artigo com alguns números interessantes da prova brasileira.

Fotografia de Roberto Cardoso / Curta Tênis gentilmente cedida ao Ténis Portugal.


Total
0
Shares
Total
0
Share