Djokovic sobrevive a Wawrinka e cinco sets

Novak Djokovic acaba de se tornar no vencedor do encontro mais longo do Australian Open 2013. Campeão em 2012 após derrotar Rafael Nadal numa final que por sete minutos não alcançou as seis horas de jogo, o sérvio derrotou hoje Stanislas Wawrinka depois de cinco horas e dois minutos de jogo, levando a Rod Laver Arena ao rubro com mais um excelente encontro.
Depois de, na jornada de ontem, Gilles Simon e Gael Monfils terem disputado igualmente cinco partidas, num jogo que apenas terminou a dezassete minutos de se concluir a quinta hora de duração, Novak Djokovic e Stanislas Wawrinka entraram hoje na Rod Laver Arena para disputar o último encontro da sessão noturna. Separados por dezasseis lugares na hierarquia mundial (Djokovic é o primeiro classificado, enquanto Wawrinka aparece no décimo sétimo posto), os dois jogadores certamente não adivinhavam o jogo que iriam viver.
Surpreendentemente, o suíço de vinte e sete anos, vencedor de três torneios profissionais ao longo de toda a sua carreira, entrou muito melhor no encontro e em menos de meia-hora chegou à vitória na primeira partida, onde somou inúmeros pontos ganhantes com as suas pancadas de direita e esquerda. Conhecido pelas suas famosas recuperações, Novak Djokovic parecia uma vez mais condenado à derrota no parcial e Wawrinka esteve de facto a apenas dois pontos de chegar à vantagem de dois sets a zero (quando liderava por 5-3), mas o sérvio recuperou e o jogo prosseguiu com os dois jogadores a alternarem vitórias em cada parcial até ao quinto, onde se escreveu mais uma página da história do ténis mundial.
Visivelmente desgastado fisicamente, Wawrinka era já elogiado um pouco por todo o mundo através das redes sociais, devido à sua excelente atitude em campo, mas faltava encontrar o vencedor. Quando era esperada a superioridade de Djokovic, o suíço fez o break inicial e rapidamente mostrou que estava pronto a disputar o quinto parcial e lutar pela vitória, e assim foi. Contudo, quando servia a 10-11, e depois de ter salvo dois match points (com um serviço a mais de 200km/h e um winner de esquerda), o compatriota de Roger Federer acabou por ver Novak Djokovic fazer um passing shot e consumar o triunfo depois de cinco horas e dois minutos de jogo, pelos parciais de 1-6 7-5 6-4 6-7 12-10.
Ao longo de todo o encontro, Stanislas Wawrinka mostrou-se mais agressivo (somando sessenta e nove winners, contra os cinquenta e um de Djokovic), aspecto que o jogador sérvio fez questão de destacar após o término do encontro: “Ele fez um grande jogo, mostrou que é um jogador de qualidade e foi ele quem foi agressivo. Dou-lhe muito crédito, fez-me correr de um lado ao outro do court, nunca me deu bolas iguais e foi agressivo pelos dois. Este foi definitivamente um dos jogos mais interessantes e e entusiasmantes que já joguei na minha carreira.” O actual campeão em título mostrou-se ainda surpreendido pelo público ter permanecido na sua maioria nas bancadas quando o relógio já ultrapassava a meia-noite local: “Não esperava que ficassem tantas pessoas a ver o jogo até tão tarde e espero que tenham gostado tanto quanto eu. Este jogo trouxe-me memórias de há doze meses, quando defrontei o Rafa [Nadal]. Obrigado por ficarem, tornaram este jogo muito especial.”
Nos quartos-de-final, o primeiro cabeça de série terá pela frente o checo Tomas Berdych, que ainda não perdeu qualquer set. Contudo, Djokovic mostrou-se confiante na recuperação total a tempo do seu próximo encontro (que terá lugar na jornada de terça-feira) e numa boa prestação: “Sei que vou conseguir recuperar, não estava muito preocupado com a parte física e estes jogos ajudam a aumentar os níveis de confiança.”

Total
0
Shares
Total
0
Share