Fernando González, uma carreira de sucesso

Como já havia sido anunciado no Ténis Portugal, o chileno Fernando González afirmou que deixará de competir em torneios profissionais masculinos no final do Masters 1000 de Miami, um importante torneio que será disputado durante o próximo mês de março, na cidade norte-americana.
Aos trinta e um anos, Fernando González afirmou que a decisão já tinha sido tomada há uns tempos e justificou mesmo o facto de não se ter retirado em casa, aquando da disputa do ATP 250 de Viña del Mar: “Se eu me tivesse retirado em Viña del Mar. inha sido muito difícil a nível emocional. Miami significa muito para mim e há bastantes chilenos, pelo que vai ser um bom final de carreira. Sempre quis jogar até aos trinta anos e, agora que já tenho mais um, não tenho energia para estar nos lugares onde quereria estar. Este é o momento ideal.”



Profissional desde 1999, Fernando Francisco González Ciuffardi conseguiu conquistar onze torneios, perdendo igualmente onze finais.

O ATP 250 de Orlando, nos Estados Unidos, durante o ano de 2000, foi a primeira conquista do tenista sul-americano (curiosamente contra o seu grande rival e amigo, também ele chileno, Nicolás Massú), que ainda conquistou o ATP 250 de Viña del Mar (em 2002, 2004, 2008 e 2009), o ATP 250 de Palermo (Itália, 2002), o ATP 250 de Auckland (Nova Zelândia, 2005), o ATP 250 de Amersfoort (Holanda, 2005), o ATP 500 de Basileia (Suíça, 2005), o ATP 500 de Pequim (China, 2007) e o ATP 250 de Munique (Alemanha, 2008).
Apelidado de Gonzo, o chileno alcançou ainda as finais em Basileia (2002 e 2006), Washington (2003), Metz (2003), Amersfoort (2004), Viña del Mar (2005), Viena (2006), Madrid (2006) e Roma (2007).
Apesar das onze conquistas e das onze finais perdidas, foi em eventos organizados pela International Tennis Federation (e não pela ATP) que Fernando González atingiu o topo do ténis mundial: em 2004, ao lado de Nicolas Massú, conquistou o Ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas. No mesmo ano, o chileno foi medalha de bronze na vertente de singulares e, quatro anos depois, perdeu apenas para Rafael Nadal, sendo medalhado com a prata em singulares.
Janeiro de 2007 também ficará para a história da carreira de Fernando González, dado que atingiu a final do Australian Open – pelo caminho derrotou Evgeny Korolev, Juan Martín del Potro, Lleyton Hewitt, James Blake, Rafael Nadal (na altura número dois mundial) e Tommy Haas, perdendo apenas para o suíço Roger Federer. O magnífico percurso em terras australianas permitiu-lhe ascender ao quinto posto da hierarquia mundial, a sua melhor classificação de sempre. 
O segundo melhor resultado de ‘Gonzo’ em torneios do Grand Slam ocorreu cerca de dois anos depois, quando alcançou as meias-finais em Roland Garros, depois de vencer Andy Murray nos quartos-de-final. Robin Soderling (finalista em 2009 e 2010), foi o único a derrotá-lo, tendo anteriormente deixado pelo caminho Rafael Nadal.
A despedida em Miami 2012 será, certamente, calorosa, e Fernando González ficará recordado na história do ténis mundial como um dos melhores tenistas sul-americanos de sempre.

Total
0
Shares
Total
0
Share