João Sousa sobre o adiamento dos Jogos Olímpicos: “É uma notícia triste, mas necessária”

No dia em que o ciclo olímpico sofreu alterações pela primeira vez desde a II Guerra Mundial, João Sousa lamentou o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio mas reconheceu tratar-se da decisão certa atendendo às circunstâncias atuais, causadas pela pandemia de Covid-19.

“É uma notícia triste para nós, mas é uma medida necessária para que tudo volte à normalidade e possa acontecer da melhor maneira. Agora, é esperar pelas novas notícias e que tudo corra pelo melhor”, disse o tenista vimaranense de 30 anos à Lusa.

Atual número 66 do ranking ATP, João Sousa afirmou ainda que a hipótese de adiar a competição olímpica “era algo que já estava no ar e uma decisão que tinha de ser tomada”, tal como já tinha afirmado no fim da última semana.

“Obviamente que, depois de toda a situação mundial que está a acontecer, era previsível. Acho que acabou por fazer algum sentido, já que muitos dos atletas olímpicos que iam estar presentes em Tóquio têm visto algumas dificuldades acrescidas na preparação e treino, uma vez que muitos dos países têm optado pelo estado de emergência. Acaba por ser compreensível esta decisão do COI. Agora falta-nos saber a data”, completou o número um português, que está em Guimarães a cumprir a quarentena.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."