Comité Olímpico Internacional e Japão confirmam adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Não foi preciso esperar muito: horas depois da televisão estatal do Japão, NHK, ter anunciado que o Primeiro Ministro daquele país ia propor ao Comité Olímpico Internacional (COI) o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, a confirmação chegou.

“Dadas as circunstâncias atuais e com base nas informações fornecidas pela Organização Mundial de Saúde, o Presidente do Comité Olímpico Internacional e o Primeiro Ministro do Japão decidiram que os Jogos Olímpicos de Tóquio terão de ser adiados para uma data para lá de 2020 mas não depois do verão de 2021 para salvaguardar a saúde dos atletas e de todas as pessoas envolvidas nos Jogos Olímpicos e a comunidade internacional”, lê-se no comunicado emitido pelo COI.

Antes do anúncio oficial ser publicado, o Primeiro Ministro japonês, Shinzo Abe, já tinha confirmado aos jornalistas que durante a vídeo-chamada desta manhã o presidente do COI, Thomas Bach, “concordou a 100%” com o seu pedido de adiamento dos Jogos Olímpicos, que estavam marcados para o período de de 24 de julho a 9 de agosto.

Apesar de a data exata ainda não estar definida, já é certo que os Jogos Olímpicos só serão realizados em 2021.

É a primeira vez que o ciclo olímpico sofre alterações desde que os Jogos Olímpicos de 1940 e 1944 foram cancelados devido à II Guerra Mundial.

O torneio olímpico de ténis estava previsto para a semana de 25 de julho a 2 de agosto, o que para já significa que os calendários dos circuitos masculino e feminino — suspensos até, pelo menos, 7 de junho — ganham uma semana extra que já é apontada por muitos como uma oportunidade para o torneio de Wimbledon atrasar ligeiramente o seu início (marcado para 29 de junho) de forma a evitar o cancelamento. Isto, claro, se a pandemia de coronavírus for entretanto superada…

Última atualização às 13h15.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."