McEnroe e Navratilova tentaram protestar contra Margaret Court mas foram silenciados

O início de noite (manhã em Portugal) da nona jornada do Australian Open ficará marcado pela vitória sofrida e de certa forma notável de Roger Federer, mas para além do suíço — que salvou sete match points — houve outras duas lendas do desporto em destaque: John McEnroe e Martina Navratilova protestaram a favor da renomeação da Margaret Court Arena mas a organização foi rápida a cortar-lhes a plataforma.

A ex-número um mundial tem defendido a mudança de nome do segundo maior palco de Melbourne Park, que continua a prestar homenagem a Margaret Court (que ainda detém o recorde de títulos do Grand Slam conquistados se considerado o período anterior à Era Open) apesar das várias declarações homofóbicas que a australiana proferiu nos últimos anos.

A visão controversa de Margaret Court já foi repudiada pelos responsáveis do Australian Open, que decidiram “separar a jogadora das suas opiniões”: repudiam as declarações pessoais da ex-jogadora mas mantêm o reconhecimento de uma carreira recheada de sucesso.

Por isso, esta terça-feira tomaram a decisão de interromper a transmissão televisiva da 1573 Arena, onde Martina Navratilova tomou por breves instantes conta do microfone da cadeira do árbitro numa tentativa de iniciar o protesto.

“Tenho falado sobre este problema há já algum tempo e o John McEnroe está aqui para me ajudar a chamar à atenção”, disse a ex-número um mundial antes de ser interrompida. Mas os lendários tenistas norte-americanos não desistiram e, uma vez silenciados, desenrolaram uma faixa com a inscrição “Evonne Goolagong Arena”, fazendo um apelo aos responsáveis para que substituam o nome do court pelo de Evonne Goolagong, que com Margaret Court partilha o estatuto de lenda australiana mas não a homofobia.

Na reação ao sucedido, a Tennis Australia afirmou que abraça “a diversidade, a inclusão e o direito opinião e de expressão dessa opinião” ao mesmo tempo que repudiou a quebra dos protocolos e regulamentos do torneio por parte de McEnroe e Navratilova, com quem diz estar “a trabalhar para resolver a situação”.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."