Coco Gauff derrota campeã em título Naomi Osaka na Austrália

Aos 15 anos, Coco Gauff continua a fazer das suas e esta sexta-feira, em plena sessão noturna na Rod Laver Arena, derrotou a campeã em título Naomi Osaka por 6-3 e 6-4 para chegar à quarta ronda do Australian Open.

Dizem que é com os erros que se aprende. Depois desta madrugada, Cori Gauff poderá muito bem dizer o mesmo. A norte-americana aprendeu a lição no primeiro embate entre ambas, na última edição do US Open, e trouxe tudo muito bem estudado para este segundo embate diante da nipónica.

Com um jogo mais cauteloso, que a levou a cometer muito menos winners do que Osaka (6 contra 17) mas também muito menos erros (17 contra 30), Gauff apoiou-se na eficácia do seu serviço para sair das situações mais complicadas. A jovem norte-americana colocou mais de 70% das primeiras bolas e não ofereceu grandes hipóteses a Osaka de responder.

O primeiro set ficou decidido com um break numa fase tardia, quando Osaka servia a 3-4. Sempre que pôde, Gauff massacrou o segundo serviço mais frágil da japonesa e seguiu esse caminho até ao triunfo. Depois do primeiro set terminado, a jovem de 15 anos entrou na segunda partida a quebrar novamente o serviço da adversária. No entanto, Osaka tinha uma resposta desta vez e devolveu de imediato o break.

As duas tenistas entraram depois numa fase do encontro em que venceram os jogos de serviço com muita facilidade. A dúvida era sobre quem iria vacilar primeiro e a resposta foi Osaka, que voltou a ceder o serviço ao sétimo jogo. Gauff aproveitou e, até ao final, não perdeu qualquer ponto a servir, pelo que tornou impossível a recuperação da oponente.

Pela primeira vez apurada para a quarta ronda, Cori Gauff aguarda agora pela vencedora do embate entre Shuai Zhang (#35 WTA) e Sofia Kenin (#15). Para já, a única certeza que fica é que o “Happy Slam” vai ter uma nova campeã.

Atualizado às 11h46.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."