João Domingues volta a vencer e chega aos quartos de final do Maia Open

Beatriz Ruivo/Federação Portuguesa de Ténis

Não foi fácil mas o sonho de coroar um campeão português no próximo domingo mantém-se vivo: João Domingues somou esta quinta-feira a segunda vitória consecutiva para chegar aos quartos de final do Maia Open, onde passa a ser o único representante luso ainda em prova.

O tenista oliveirense de 26 anos (que é o 192 colocado no ranking ATP) carimbou a vitória desta quinta-feira graças aos parciais de 7-6(3) e 6-2 frente ao alemão Daniel Masur (257.º).

O número 4 português entrou com o pé direito no encontro e conseguiu o break logo no jogo inaugural, mas não conseguiu agarrar-se ao serviço e perdeu de tal forma terreno que ao nono jogo precisou de salvar três pontos de set e quebrar o serviço para se manter na luta. Chegado o tie-break, Domingues foi muito mais forte do que Masur e aproveitou a primeira oportunidade de que dispôs para ganhar vantagem.

E esse revelou-se o momento chave do encontro, com o tenista português a aproveitar a injeção de confiança para partir para uma vitória bem mais folgada no segundo parcial.

No encontro anterior no court central do Complexo de Ténis da Maia, Pedro Sousa — o oitavo cabeça de série — foi surpreendido pelo alternate italiano Riccardo Bonadio (422.º), que ao fim de 2h27 consumou a reviravolta para vencer por 4-6, 6-2 e 7-5.

Nos quartos de final, João Domingues — atual número 4 português que neste torneio defende o estatuto de 14.º cabeça de série — vai ter como adversário Andrea Vavassori. O italiano é o atual 397.º da tabela e vem da fase de qualificação.

Atualizado às 18h04.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."