Nadal: “Não foi de forma nenhuma uma das minhas melhores prestações”

Rafael Nadal pode ter protagonizado uma das maiores recuperações do ano para melhorar significativamente as hipóteses de qualificação para as meias-finais do Nitto ATP Finals, mas separou as águas e afastou a prestação desta quarta-feira das melhores da carreira.

“Não, não é de todo uma das melhores exibições da minha carreira. De forma alguma”, afirmou de forma peremptória o atual número 1 do mundo, que ao derrotar Daniil Medvedev depois de estar a perder por 1-5 e 30-40 no último set também deu um passo importante na luta pelo primeiro lugar do ranking no final da época.

Sobre o tenista russo, que tinha derrotado nas duas primeiras ocasiões em que estiveram frente a frente (a última das quais na épica final do US Open), Nadal disse que “é muito, muito forte mentalmente. Ele mostrou-o ao início do ano e o que alcançou não seria possível se não fosse tão forte mentalmente. Na verdade tenho muita pena por ele, perder um encontro desta forma é difícil e doloroso. Mas ele deve estar muito orgulhoso do que tem feito.”

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."