WTA Finals: Barty opera reviravolta e vai discutir troféu com Svitolina

Fotografia: WTA

A australiana Ashleigh Barty é a segunda finalista do WTA Finals, em Shenzhen. A número um mundial bateu a checa Karolina Pliskova em três sets, com os parciais de 4-6, 6-2 e 6-3, e vai defrontar a campeã em título, Elina Svitolina, na final da prova.

Com Pliskova a atravessar um grande momento de forma, o encontro não foi fácil para a líder da hierarquia, que foi muito pressionada nos jogos de serviço durante o primeiro parcial. Ao quinto jogo, Barty acabou mesmo por ceder e Pliskova fez desse único break o suficiente para se adiantar no marcador.

Depois do primeiro set, as percentagens de primeiro serviço da checa desceram, mas ainda assim foi Pliskova a primeira a ameaçar o break na segunda partida. A número dois do mundo desperdiçou quatro break points ao terceiro jogo e, no jogo seguinte, cedeu ela o serviço para Barty, que aproveitou para comandar o resto do parcial e forçar a “negra”.

Com jogos de serviço curtos de ambas as tenistas, sem ceder muitos pontos, o terceiro set foi muito equilibrado. Num dos poucos jogos que durou algum tempo, Pliskova desperdiçou uma vantagem de 30-0 ao serviço e permitiu a Barty conseguir o break e adiantar-se por 4-2. A australiana aguentou a vantagem até ao final e, ao terceiro match point, selou o triunfo.

Este domingo, Ashleigh Barty e Elina Svitolina vão discutir a conquista do último grande troféu da época em solo chinês. De relembrar que a ucraniana procura o bicampeonato e, ao mesmo tempo, conquistar um prize money recorde de 4,725 milhões de dólares.

Avatar
Adepto do desporto em geral mas com especial carinho pela "bolinha saltitona". O bichinho surgiu ainda Rafael Nadal não tinha mangas e não mais saiu. Chegada a oportunidade de me juntar ao Raquetc, juntamente com a minha ambição de ser jornalista, foi fácil aceitar juntar-me à equipa.