Halep salva um match point e derrota Andreescu no regresso ao WTA Finals

A tendência mantém-se: o WTA Finals na sua maioria, o WTA Finals proporciona encontros extremamente equilibrados e a jornada desta segunda-feira em Shenzhen não foi exceção. Quanto ao clímax, chegou no segundo encontro, em que Simona Halep salvou um match point para assinar a vitória no regresso ao torneio.

A tenista romena chegou ao “Masters” do circuito feminino como a única das oito jogadoras em competição sem registos negativos contra qualquer uma das rivais e manteve-o ao sair por cima do primeiro duelo com Bianca Andreescu: 3-6, 7-6(6) e 6-3 foram os parciais de uma vitória muito, muito suada.

As campeãs dos dois últimos torneios do Grand Slam da temporada nunca tinham partilhado o court e para a jovem sensação canadiana este era um momento muito especial uma vez que do outro lado estava uma das suas maiores referências (a par de Kim Clijsters).

Admiração à parte, Andreescu soube entrar focada e ciente do que tinha de fazer para sobreviver ao jogo de Halep. E de tal forma estudou a lição que dois sets lhe bastaram para chegar ao match point.

Ao 6-3, 6-5 a canadiana de 19 anos colocou a romena, de 28, entre a espada e a parede. Mas Halep, habituada a sair de situações desfavoráveis, agarrou-se com unhas e dentes ao encontro e não parou de lutar até dar a volta à situação. Com maior frescura física, a campeã de Wimbledon conseguiu salvar o ponto de encontro, vencer um tie-break equilibrado e de forma já mais folgada fazer a diferença na terceira partida. Foi a 15.ª vitória da temporada em terceiros sets, curiosamente o mesmo número de triunfos conseguidos por Bianca Andreescu.

Quem também venceu na jornada desta segunda-feira foi Elina Svitolina. Depois de um início morno de parte a parte, a ucraniana conseguiu sair por cima de um tie-break frenético (precisou de set points…) para ganhar balanço e só parou quando conseguiu derrotar Karolina Pliskova. 7-6(12) e 6-4 foram os parciais de uma vitória que, por acontecer em dois sets, lhe vale a liderança do Grupo Roxo.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."