Francisca Jorge arrasa para chegar à terceira final em três torneios em Lousada

Imparável. É essa a melhor forma de descrever a campanha dividida pelas últimas duas temporadas de Francisca Jorge (525.ª WTA) em Lousada.

Este sábado, a tricampeã nacional absoluta somou a 14.ª vitória consecutiva nos courts de piso rápido indoor do Lousada Ténis Atlântico para alcançar a terceira final de singulares em três torneios internacionais femininos organizados no local.

Grande candidata à vitória num palco de grandes memórias — os dois títulos conquistados há um ano traduziram-se nos primeiros da jovem vimaranense no circuito internacional (no que à variante de singulares diz respeito —, a melhor tenista português da atualidade voltou a alinhar uma exibição muito autoritária. Desta vez, venceu Ainhoa Atucha Gomez (número 674 WTA e quarta cabeça de série) num duelo de favoritas, graças aos parciais de 6-1 e 6-4.

Implacável ao longo de toda a semana, a tenista natural de Guimarães (mas que desde o início de 2017 treina no Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis, em Oeiras) converteu 3 dos 10 pontos de break de que dispôs e salvou os 4 que enfrentou para prolongar a invencibilidade no Lousada Indoor Open.

Na grande final, marcada para domingo, Francisca Jorge já sabe que vai ter pela frente uma jogadora francesa: Aubane Droguet (carrasca de Inês Murta nos quartos de final e 1061.ª WTA) e Carole Monnet (803.ª) vão medir forças na segunda e última meia-final.

Mas antes disso a número um portuguesa ainda vai regressar ao campo: é que na tarde deste sábado, nunca antes das 15h, tem a final de pares para disputar. Joga ao lado da habitual parceira Olga Parres Azcoitia (com quem já venceu dois torneios este ano, em Amarante e na Figueira da Foz) e contra as também espanholas Célia Cervino Ruiz e Angeles Moreno Barranquero.

Feitas as contas, são já cinco finais para Francisca Jorge em Lousada, ela que há um ano também tinha discutido uma decisão de pares (que perdeu) para além das duas de singulares que venceu.

Última atualização às 12h50.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."