Maria Inês Fonte vence final portuguesa e é a campeã da Lousada Junior Cup

À entrada para a final feminina da primeira edição da Lousada Junior Cup uma coisa era certa: o título ia ser entregue a uma jogadora da casa e acabou por ser Maria Inês Fonte a reclamá-lo, ao derrotar a companheira de treinos Matilde Jorge.

Presença pouco habitual no circuito júnior devido à já grande aposta no circuito profissional (chegou a Lousada depois de disputar as meias-finais do 15.000 dólares de Santarém), a jovem maiata de 17 anos reagiu da melhor forma possível à primeira final e somou a sexta vitória da semana em parciais diretos para ficar com o título, desta vez ao vencer a compatriota, dois anos mais nova, por 6-3 e 6-4.

Para chegar à final, que devido às más condições climatéricas teve de ser jogada nos courts de piso rápido indoor do Lousada Ténis Atlântico, a jogadora do Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis já tinha derrotado Carolina Gomez (6-2 e 6-2), Eleonora Alvisi (6-2 e 6-2), Alexandra Petric (6-1 e 6-1), Melody Hefti (7-5 e 6-3) e Kristina Volgapkina (6-3 e 7-5).

A Lousada Junior Cup foi apenas o sétimo evento do circuito internacional júnior em que Maria Inês Fonte (ainda no primeiro ano do escalão) participou — e o primeiro desde agosto de 2018, precisamente a altura em que tinha conseguido o seu melhor resultado: foi semifinalista da Taça Diogo Nápoles, no Porto.

Matilde Jorge, que era a sexta cabeça de série, tinha ficado isenta da primeira ronda e cedeu um set no encontro dos oitavos de final, vencendo as restantes rondas em dois parciais. Em relação à compatriota, a tenista vimaranense já conta com um currículo mais recheado no circuito júnior: antes de chegar a Lousada, já tinha sido campeã de dois torneios em singulares (perdeu outras duas finais) e de quatro em pares (aos quais acrescenta ainda três vice-campeonatos).

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."