Gonçalo Oliveira travado por top 60 mundial no regresso aos Masters 1000

Gonçalo Oliveira

Mais de um ano depois, Gonçalo Oliveira (256.º ATP) voltou a tentar a sorte num dos maiores e mais importantes torneios do mundo e foi a jogo no ATP Masters 1000 de Xangai. Mas a participação do número cinco nacional acabou por ser curta: foi derrotado na primeira ronda do qualifying.

Com a difícil tarefa de passar pelo cazaque Alexander Bublik (57.º do mundo e recém finalista de um torneio ATP pela primeira vez, em Chengdu — onde só perdeu no tie-break da terceira partida para Pablo Carreño-Busta), o jogador portuense não conseguiu surpreender mas ofereceu muito boa réplica até perder pelos parciais de 6-4 e 6-4 em 1h18.

Esta foi a segunda participação em torneios Masters 1000 para Gonçalo Oliveira, que em março de 2018 já tinha ido a jogo na fase de qualificação de Indian Wells, na Califórnia, Estados Unidos da América.

Com a derrota, João Sousa passa a ser o único representante português em prova no maior torneio organizado em solo chinês (e que tem Novak DjokovicRoger Federer como as principais figuras de cartaz). O número um nacional volta a participar no quadro principal e ficou a conhecer o primeiro adversário na madrugada deste sábado.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."