US Open. Berrettini faz história para Itália e marca encontro com Rafael Nadal

Fotografia: Garrett Ellwood/USTA

O italiano Matteo Berrettini continua a fazer as delícias dos adeptos em Flushing Meadows. Esta quarta-feira, o tenista transalpino proporcionou um encontro épico com Gael Monfils, do qual saiu vencedor com os parciais de 3-6, 6-3, 6-2, 3-6 e 7-6(5). Desta forma, Berrettini está pela primeira vez nas meias-finais de um Grand Slam.

O encontro teve contornos verdadeiramente incríveis e durou três horas e 56 minutos. No final, e a aparentar maior desgaste do que o adversário, Gael Monfils foi traído pelo serviço no tie-break, com as duplas faltas a surgirem na pior altura. Antes, no entanto, já Berrettini tinha cometido uma dupla falta em pleno match point, quando servia a 5-4 para fechar o encontro. No entanto, o italiano acabou mesmo por conseguir triunfar.

A vitória de Matteo Berrettini assume também contornos históricos para o ténis italiano: o atual número 25 do Mundo é o primeiro tenista masculino daquele país a conseguir chegar às meias-finais do US Open nos últimos 42 anos.

O senhor que se segue: Rafael Nadal

Na pista de Berrettini segue-se o espanhol Rafael Nadal, considerado o principal favorito à conquista da prova após os afastamentos de Novak Djokovic e Roger Federer. O maiorquino continua a trilhar o seu caminho em Nova Iorque com exibições muito consistentes e o encontro frente a Diego Schwartzman não foi exceção.

Apesar da boa réplica dada por “El Peque”, que conseguiu recuperar de um 0-4 para 4-4 no primeiro set e de um 1-5 para 5-5 na segunda partida, Nadal acabou sempre por descobrir o caminho para ultrapassar as dificuldades. Apoiado em 35 winners, um jogo de rede apuradíssimo e a capacidade de vencer os pontos mais importantes (salvou seis de dez break points), o espanhol acabou por triunfar com os parciais de 6-4, 7-5 e 6-2.

A meia-final vai então opor Nadal e Berrettini, com o maiorquino a disputar a 33.ª meia-final da carreira em Grand Slams frente a um estreante nestas andanças, que procura prolongar a estadia no US Open.

Avatar
Adepto do desporto em geral mas com especial carinho pela "bolinha saltitona". O bichinho surgiu ainda Rafael Nadal não tinha mangas e não mais saiu. Chegada a oportunidade de me juntar ao Raquetc, juntamente com a minha ambição de ser jornalista, foi fácil aceitar juntar-me à equipa.