Francisco Cabral é o primeiro a chegar à segunda ronda do BTA Futures I

SINTRA — Muito vento, muita luta e no final uma vitória: Francisco Cabral tornou-se, na tarde desta terça-feira, no primeiro jogador português a garantir um lugar na segunda ronda do quadro principal de singulares do BTA Futures I, o ITF de 15.000 dólares que se joga na Beloura Tennis Academy, em Sintra.

Num dia em que começou com duas vitórias lusas na fase de qualificação, o portuense teve de esperar mais do que o previsto pela hora de entrar em court uma vez que o adversário inicial (o francês Benjamin Pietri) desistiu devido a uma lesão.

Chegado o momento de entrar, finalmente, em ação, já o forte vento característico da região de Sintra tinha regressado — e para ficar, prejudicando muito as condições de jogo e complicando consideravelmente a tarefa aos dois jogadores, que sentiram muitas dificuldades. Mas ao fim de 1h59 a vitória chegou e foi portuguesa: 6-0, 2-6 e 6-2 a favor de Francisco Cabral contra Rikhardt Bierman, que horas antes tinha perdido na segunda e última ronda do qualifying.

O triunfo desta terça-feira coloca o tenista portuense de 22 anos na segunda ronda do quadro principal de singulares, onde poderá ter pela frente um compatriota: Nuno Borges, caso o maiato confirme o estatuto de quinto cabeça de série frente ao qualifier Digvijay Pratap Singh, da Índia.

Entretanto, está já garantida a presença de pelo menos mais um jogador da casa na segunda ronda, uma vez que o sorteio dos qualifiers ditou que André Rodeia vai medir forças com Fábio Coelho.

Francisco Cabral (POR) vs. [LL] Rikhardt Bierman (AFS), 1R BTA Futures I:

Publicado por Raquetc em Terça-feira, 13 de agosto de 2019

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."