Quase um ano depois, Serena desforra-se de Osaka e mostra que está mesmo de volta

Foi preciso esperar-se quase um ano, mas Serena Williams e Naomi Osaka voltaram finalmente a estar frente a frente e desta vez tudo foi diferente: a norte-americana esteve sempre por cima e conseguiu a desforra da polémica final do US Open para chegar às meias-finais da Rogers Cup, um dos torneios mais importantes antes do Grand Slam norte-americano.

Com contas a alinhar e, sobretudo, muito a deixar para trás numa rivalidade que tem tudo para ser celebrada, a norte-americana de 37 anos mostrou que agora sim, está realmente de volta e com uma exibição extremamente autoritária — provavelmente a melhor de toda a temporada — venceu por 6-3 e 6-4.

A diferença de winners apontados reflete o que se passou dentro do campo: a norte-americana alinhou 31, a japonesa apenas 5.

  • Curiosidade do dia: esta é a primeira vez que Serena Williams vence três encontros consecutivos em torneios WTA desde que foi mãe, em setembro de 2017. Até agora a norte-americana só o tinha voltado a fazer em torneios do Grand Slam, com destaque para a chegada às finais de Wimbledon, em 2018 e 2019, e do US Open, em 2018.

Num dia difícil, marcado por condições extremamente ventosas, Serena Williams foi impressionante do início ao fim: serviu muito bem, movimentou-se incomparavelmente melhor quando comparado com todas as exibições em Wimbledon e não deixou que Naomi Osaka entrasse no duelo. De tal forma que a japonesa não conseguiu conquistar nenhum ponto de break, mesmo se vários dos jogos de serviço da norte-americana chegaram ao 30-30.

Apesar da derrota, a nipónica tem razões para sorrir: é que no início da jornada tinha ficado confirmado o seu regresso ao primeiro lugar do ranking, graças a mais uma vitória da grande estrela da casa.

Quanto a Serena Williams, continua na rota de um quarto título no torneio mais importante disputado em solo canadiano e fica à espera do desfecho do encontro entre a checa Marie Bouzkova e a romena Simona Halep (que a bateu na final de Wimbledon) para saber quem defrontará na jornada de sábado.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."